Topo

Vôlei

Nova BBB jogou Superliga com Mari Paraíba e ganha torcida de jogadoras

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Demétrio Vecchioli*

Colaboração para o UOL

19/01/2018 12h57

Ainda que não tenha brilhado como líbero dos diversos clubes mineiros que defendeu, Paulinha Barbosa está prestes a descobrir a fama. Apresentada como uma das integrantes do BBB18, a ex-jogadora de vôlei chegou a jogar a Superliga Feminina pelo Mackezine e foi companheira de algumas das melhores atletas do país, entre elas outra celebridade: Mari Paraíba.

"É engraçado quando alguém que você conhece participa de um reality. Vi ontem pelo Instagram, que eu sigo ela", contou Mari Paraíba, hoje um dos destaques do Vôlei Nestlé, de Osasco.

"Acho que ela vai se sair muito bem. Ela é super carismática, super engraçada, muito sincera, não mede muito as palavras. Acho que o povo gosta disso né? Vou torcer para ela se dar bem e conquistar os corações dos brasileiros", completou a jogadora ao UOL Esporte.

As duas jogaram juntas na temporada 2008/2009 da Superliga Feminina de Vôlei, quando defenderam o Mackenzie, clube de Belo Horizonte onde Paulinha começou a carreira. 

Durante aquela temporada, em janeiro, a líbero completou 20 anos. Mas, nos registros da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), não constam informações sobre suas supostas atuações. A titular era Tássia, hoje também no Vôlei Nestlé, usualmente a única líbero relacionada para as partidas.

"Também descobri pelo Instagram. Até tomei um susto. Falei com umas outras jogadoras que jogaram com ela e a gente ficou surpresa. Não sou de assistir Big Brother, mas vou assistir por causa dela, torcer por ela”, comentou Tássia.

“Ela é ótima pessoa, pode ter mudado por causa da idade, mas é muito engraçada, quando ela quer ela faz. Acho que ela vai tumultuar esse Big Brother, viu?", opinou a líbero.

No registro de Paulinha Barbosa na CBV, consta que ela foi registrada na Federação Mineira de Vôlei (FMV) pelo Colégio Pio XII, quando tinha apenas 12 anos.

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Em 2004, aos 15, ela se transferiu para o Mackenzie, que tinha uma das categorias de base mais tradicionais de Belo Horizonte. Quando o clube se arriscou pela primeira vez na Superliga, Paulinha ganhou uma chance.

“A Paulinha é um amor de pessoa. Muito alegre, muito alto astral. Eu a via jogando desde a base, no infanto. Depois, a gente jogou juntas no adulto. Ela vem de uma família ótima, é um amor. Aprendi muito com ela", conta Pri Heldes, jogadora do SESI-SP.

"Ela era uma boa líbero, muito esforçada", avalia Helô, do Vôlei Bauru. "Ela parou cedo, poderia ter continuado, ter feito uma carreira, mas preferiu seguir os passos da família, trabalhar com a família. Vi que ela foi estudar e trabalha com o pai, que tem uma fábrica de doces. Mas a Paulinha era super divertida, muito engraçada, tem um jeito espontâneo. Bem gente boa", relata, concordando com as ex-companheiras.

Antes de jogar no time adulto do Mackenzie, Paulinha chegou a ter uma passagem pelo Clube Recreativo Orin, de São José dos Campos (SP). Depois do fim da Superliga, não consta, nos registros da CBV, nenhum outro registro senão uma passagem pelo Comercial Esporte Clube, de Belo Horizonte, em meados de 2014, para a disputa do Campeonato Mineiro. 

Sister também é ex-namorada de Rodriguinho

Além do passado nas quadras, Paula tem ligação com outro esportista: o meia Rodriguinho, do Corinthians. Ela namorou o jogador de futebol por três anos e disse ter sido o seu último relacionamento amoroso antes de ser escolhida para o reality. Ela trata o ex-namorado como "finado" e disse estar pronta para se envolver com alguém da casa.

"Agora o coração já está aberto, meu amor", disse a participante do BBB em entrevista ao site oficial do programa, que estreará na próxima segunda-feira (22). Reservado, Rodriguinho evita falar sobre sua vida pessoal.

* Colaborou Carolina Canossa

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!