Topo

Vôlei

Comissão médica da FIVB debate presença de transexuais e promete justiça

Do UOL, em São Paulo

24/01/2018 17h12

Nesta quarta-feira (24), a comissão médica da Federação Internacional de Vôlei (FIVB) se reuniu em Lausanne, na Suíça. Entre as pautas debatidas, esteve o debate sobre praticantes transexuais da modalidade, como a brasileira Tifanny. Presidente da entidade, Annie Peytavin prometeu empenho para que o resultado do debate seja justo.

"Hoje, fizemos avanços significativos em uma série de questão médicas que podem mudar o rosto do vôlei como o conhecemos. De particular interesse foi a participação de transexuais. Na sequência de uma discussão aprofundada, a comissão médica da FIVB está empenhada em estudar esta questão, a fim de garantir que qualquer decisão médica FIVB seja baseada nos dados e conhecimentos mais recentes nesta área, de modo a garantir um sistema justo e equitativo de competição para todos os atletas", disse Annie Peytavin.

Secretário-geral da FIVB, Fernando Lima reforçou a fala e prometeu ouvir especialistas, além de levar o debate para o Comitê Olímpico Internacional.

"Esta é uma questão complexa, também debatida por outras federações internacionais. É importante considerar muitos ângulos para tomar uma decisão tão crítica, dado o impacto duradouro nos atletas. Precisamos estar atentos à igualdade dentro das categorias de gênero e precisamos fazer isso com a ajuda de especialistas médicos, éticos e legais, entre outros", disse Lima.

"A FIVB está comprometida com a transparência e a boa governança em todas as áreas, e é vital integrar o conhecimento e a experiência de diferentes comissões da FIVB. A FIVB trabalhará em estreita colaboração com o Comitê Olímpico Internacional e com o Grupo Consultivo dos Jogos Olímpicos e Multi-Esportes e faremos o nosso melhor para estar alinhado com essa questão sensível", completou.

Segundo a comissão, a meta da FIVB é estabelecer um sistema para a participação de atletas que respeite escolhas individuais e garanta um nível justo. Para competições nacionais, a responsabilidade é exclusividade das federações locais.

Procedimentos antidoping, medicina esportiva e a promoção de um estilo de vida saudável por meio do vôlei também foram temas discutidos na reunião. 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!