Topo

Vôlei

Venturini lamenta morte de Marielle: "e querem Bernardinho na política"

Do UOL, em São Paulo

15/03/2018 16h01

Fernanda Venturini, ex-jogadora da seleção brasileira feminina de vôlei, fez duras críticas nesta quinta-feira à situação política do Brasil. Casada com Bernardinho, treinador do Sesc-RJ, ela lembrou o fato de as pessoas pedirem a presença do ex-atleta na política.

Nas redes sociais, a ex-levantadora citou o “dia difícil” após as mortes de Marielle Franco, vereadora do PSOL no Rio de Janeiro, e seu motorista, Anderson Pedro Gomes, assassinados na noite de quarta-feira.

“Dia triste! Ainda querem que meu marido entre na política. Só tem bandido! Fala sério!”, criticou Venturini.

O marido da ex-jogadora, Bernardinho, foi técnico das seleções masculina e feminina de vôlei. O treinador se filiou ao PSDB em 2013, mas trocou de partido e se associou ao Novo em 2017, sendo cotado para concorrer ao governo do Rio de Janeiro.

Bruno Rezende, jogador de vôlei e filho do treinador, também se manifestou no Instagram. “Aonde vamos parar, meu Deus? Aonde vai parar nosso Rio de Janeiro?”, publicou o jogador de vôlei em seus “stories” na rede social, publicando depois uma imagem de Marielle. “Que Deus abençoe a família dessa guerreira. E que a justiça seja feita. E um Brasil digno.”

Procurada pela reportagem do UOL Esporte, Fernanda Venturini não quis comentar a postagem.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!