Topo

Vôlei

Em duelo apertado, Sada Cruzeiro vence Sesi-SP na 1ª da final da Superliga

Gaspár Nóbrega/Inovafoto/CBV
Jogadores do Cruzeiro comemoram ponto contra o Sesi na final da Superliga masculina 2018 Imagem: Gaspár Nóbrega/Inovafoto/CBV

Do UOL, em São Paulo

28/04/2018 17h49Atualizada em 28/04/2018 18h47

Na primeira partida da final da Superliga de vôlei masculino, o Sada Cruzeiro foi superior e venceu o Sesi-SP por 3 a 2 (parciais de 25/23, 25/27, 26/24, 22/25 e 15/12), neste sábado (28), no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo Em quadra, os dois times travaram um confronto muito disputado, que refletiu o resultado apertado dos sets.

"Sabíamos que seria um jogo difícil. Foi díficil de entrar. Mas a equipe está acostumada com esse tipo de situação", afirmou o levantador argentino Uriarte, do Cruzeiro, eleito o melhor da partida. Além de Uriarte, o cubano Simón e o oposto Evandro foram destaques na equipe visitante e os maiores pontuadores do duelo, com 21 pontos. Do outro lado, coube aos ponteiros Lipe e Douglas Souza, além do central Lucão tentarem parar o atual tetracampeão da Superliga. Lipe foi o maior pontuador do Sesi com 16 pontos.

Os mineiros começaram melhor. Os paulistas reagiram na parcial seguinte. No terceiro, ambas as equipes chegaram a ter a frente da partida, e o Cruzeiro garantiu no detalhe o ponto derradeiro. Na quarta parcial, a equipe azul, mesmo em desvantagem, obteve empate, mas cedeu o set ao Sesi-SP. No tie break, os azuis confirmaram o favoritismo.

O encontro foi o terceiro entre as equipes na temporada 2017/2018. O Cruzeiro venceu em todas essas ocasiões, tendo, inclusive, sido campeão da Copa do Brasil sobre os rivais.

A partida marcou a oitava disputa consecutiva do Cruzeiro em uma final da Superliga, atual tetracampeão do torneio. Com o duelo deste sábado, o clube chegou na quarta decisão diante do Sesi-SP. Os paulistas levaram a melhor apenas no duelo em 2011 e tentam no segundo confronto deste ano reverter esse retrospecto negativo.

Os mineiros reinam absolutos na competição nos últimos anos. Ao todo, venceram o torneio cinco vezes nas últimas sete Superligas (nas finais em 2012, 2014, 2015, 2016 e 2017). O Sesi-SP esteve em duas finais da Superliga nos últimos cinco anos: em 2014 e em 2015.

Apesar da derrota, o time paulista continua com possibilidade de obter a conquista de sua segunda Superliga se vencer o Cruzeiro e levar a decisão ao golden set, no próximo domingo (dia 6), às 9h10 (horário de Brasília). O obstáculo se torna maior para o Sesi, pois jogará na casa do adversário.  

"Acredito muito que temos chances. Temos que ganhar o jogo e mais um set. Hoje já foi um jogo bom, mas se a gente diminuir os erros, vamos melhorar", declarou o ponteiro Luiz Felipe Fonteles, o Lipe, no fim da partida.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!