Topo

Vôlei


Jaque sonha em seguir passos de Glenda na TV e não descarta vôlei de praia

Leandro Carneiro

Do UOL, em São Paulo

22/03/2019 04h00

Modelo, dona de salão de beleza, madrinha de bloco de Carnaval e integrante de reality show de dança. A vida de Jaqueline longe das quadras, em seu período sabático, está agitada, mas o vôlei ainda faz parte da vida da bicampeã olímpica. A ponteira agitou a web nos últimos dias após aparecer treinando vôlei de praia ao lado da também campeã olímpica Mari.

"Neste momento, a gente está treinando para se manter em forma. Se alguma coisa acontecer, estarei preparada. Agora, está sendo hobby, mas que todo mundo está se empolgando. Nunca imaginei isso. O povo se empolgar tanto e falar até em Olimpíada com a dupla Mari e Jaque. A gente tem de treinar muito, correr muito atrás e, se a gente quiser mesmo ter alguma coisa na areia, pode ser que aconteça, a gente não sabe o dia de amanhã. Se não acontecer, a gente está fazendo o que gosta", disse Jaqueline ao UOL Esporte.

As duas têm treinado em uma casa na Zona Sul de São Paulo. Mas não é apenas de vôlei de praia que tem ocupado a rotina de Jaqueline fora das quadras. Ela também tem se preparado para tentar seguir os passos de Glenda Kozlowski, que foi para TV após títulos como bodyboarder.

"Tenho sonho de ser apresentadora de TV, fazer matérias, estou estudando muito. Venho fazendo muitos cursos, fui para o Rio, aqui em São Paulo estou me virando, conversando com muita gente. Sonho em ser uma Glenda Kozlowski. Ela era uma atleta e se tornou apresentadora. E hoje é um ícone".

Outra parte da rotina de Jaqueline está em seu salão de beleza. "Sempre vaidosa", como ela mesmo se define, a bicampeã olímpica montou um local que é administrado por sua irmã. Mas a atleta faz questão de estar presente.

"Sempre fui muito vaidosa e tinha um sonho de abrir salão. Quando surgiu essa oportunidade, conversei com Murilo. Sabia que seria difícil, lidar com pessoas, num ramo diferente, é complicado. Mas salão está indo super bem. Mais uma opção minha em poder fazer algo diferente e aprender a fazer coisas que não sejam jogar vôlei. Estou lá quase diariamente, sempre que posso. Minha irmã que cuida para mim. É algo novo, mas, para mim, como empreendedora, tem sido legal", completou.

No fim de 2018, Jaqueline chegou a desfilar na São Paulo Fashion Week e tem feitos trabalhos como modelo fotográfica, alguns deles com a também jogadora Fê Isis. "Está sendo tudo muito novo para mim, muito gostoso".

Mesmo com tudo isso, a cabeça da ponteira ainda pensa no lugar em que fez tanto sucesso. A pernambucana vê o período que tem passado como "bem importante", mas sabe que ainda tem muitas bolas para defender e até atacar, se for preciso, no futuro.

"Adoro jogar defendendo, jogar passando. Pode ser que aconteça também isso (virar líbero). Mas sei que, como atacante, eu também consigo. Vejo a Gattaz, Walewska, atacantes muito mais velhas que eu, jogando em alto nível. Sei que tenho condição de voltar a jogar em alto nível. Depois que tive Arthur, sempre entrei na metade do campeonato para tentar resolver e não dá para ficar em alto nível em 3 ou 4 meses. Precisa de pré-temporada, coisa que eu não faço há muito tempo", relembrou.

Depois de muito tempo, a atleta viverá um ano diferente em 2020. Mesmo acreditando no seu potencial, Jaqueline se vê como remotas as chances de uma nova Olimpíada.

"Estou super tranquila. Quando pedi dispensa da seleção, para mim foi muito duro saber que ficaria fora do Mundial, é um título que eu não tinha, nós não temos. Acho que era momento de decisões da comissão se me queria de ponta ou líbero. Estava confundindo muito minha cabeça. Eu não estava bem psicologicamente, sem saber o que ia fazer. Fui como líbero, voltei como atacante. Não dá para voltar de atacante treinando um mês. Precisa ter um treinamento diário. Estava muito tempo sem treinar depois que acabou a Superliga. Depois, indo como líbero, treinando, é difícil você voltar e jogar como ele me levou de atacante. Fiquei bem mal psicologicamente quanto a isso, hoje estou mais tranquila, mais conformada", finalizou.