! Ana Volponi usa experiência para ajudar Rexona na Superliga - 02/12/2003 - UOL Esporte - Vôlei

UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  02/12/2003 - 11h16
Ana Volponi usa experiência para ajudar Rexona na Superliga

Da Redação
Em São Paulo

O Rexona-Ades conta com a experiência da meio-de-rede Ana Volponi para fazer boa campanha na Superliga feminina. A jogadora é dona de sete títulos brasileiros, cinco sul-americanos e outros pela seleção brasileira.

Ela, contudo, não poderá disputar os primeiros jogos da competição. A líbero do Rexona, recém-contratada para substituir Daniela Leal, que se recupera de cirurgia no joelho, deve estrear somente em janeiro. Nos primeiros jogos a responsabilidade será de Marcela, que já está treinando com o time.

"Participei do último jogo da Superliga passada, pelo MRV/Minas, com infiltração no joelho porque acreditava ser o último jogo da minha vida. Hoje, o principal é fortalecer a musculatura, mas em janeiro já estarei jogando. A Marcela está superbem e vamos nos ajudar mutuamente, eu com a experiência e ela com a saúde", brincou Volponi.

Para a líbero de 36 anos, tão importante quanto conquistar títulos que, segundo ela, marcam a passagem dos atletas pela história, é conquistar a confiança das colegas e conseguir trocar experiências positivas.

"O meu objetivo sempre foi ser importante para o grupo. Não sou individualista. Conquistei muitos títulos, passei por gerações diferentes no esporte, mas o mais legal é saber que nunca tive de competir com as mais novas e que durante a minha vida passei coisas positivas para muitas pessoas. Acredito que sou uma pessoa realizada", disse.

Toda essa preocupação com as colegas mais novas tem uma explicação. Volponi perdeu a mãe aos 6 anos de idade e, aos 15, saiu de casa para jogar vôlei. Dois anos depois perdeu também o pai.

"Aos 17 anos, eu já era uma pessoa independente, mas era muito jovem e tive a sorte de conviver com pessoas mais velhas, como a Fernanda Emerick e a Ana Gomes, de ótimo caráter, que me ajudaram a seguir um caminho saudável na vida", contou.

Para Ana Maria Volponi, que tinha a intenção de encerrar a carreira no final da última temporada, a volta às quadras pelo Rexona tem um significado especial.

"Eu quis retribuir a força que recebi do time quando engravidei das gêmeas Beatriz e Mariana na temporada 98/99 e precisei ser substituída. Talvez eu não tenha tido a oportunidade de fechar direito essa porta e concluir essa fase na minha vida. Sei que será superação em cima de superação, já que terei de me recuperar fisicamente para depois brigar pelo título, mas a minha vida sempre foi assim e disposição não falta", concluiu.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias