UOL Esporte Vôlei
 
03/04/2009 - 07h07

CBV altera local de jogo e São Caetano joga semi só fora de casa

Roberta Nomura
Em São Paulo
A única partida em que o São Caetano/Blausiegel teria o mando de quadra na semifinal da Superliga feminina de vôlei teve o local alterado pela CBV (Confederação Brasileira de Voleibol). Com a mudança, prevista no regulamento da competição, a equipe do ABC enfrentará o Finasa/Osasco como mandante em Barueri, cidade vizinha a Osasco, na segunda rodada da série melhor-de-três.

EM DUELO DE CAMPEÃS OLÍMPICAS, PONTEIRA MARI ENTRA 'OFUSCADA'
Alexandre Arruda/CBV/Divulgação
A presença de sete campeãs olímpicas é o principal ingrediente para colocar o confronto entre Finasa/Osasco (de Paula Pequeno, Carol Albuquerque, Sassá e Thaísa) e São Caetano/Blausiegel (de Mari, Sheilla e Fofão) no centro dos holofotes da Superliga de vôlei, que inicia a série melhor-de-três da semifinal já nesta sexta-feira. Nenhum outro jogo reúne tantos atletas da seleção brasileira. Mas duas estrelas envolvidas no clássico paulista entram na reta final da competição nacional distante do desempenho que as consagraram.

Mari não está entre os destaques da Superliga. A ponteira do São Caetano é a sétima melhor atacante e 10ª em recepção, enquanto suas companheiras de equipe lideram cinco estatísticas individuais. A oposta Sheilla é a maior pontuadora do torneio, com 374 pontos, e líder no ataque (29,15% de aproveitamento). A levantadora Fofão tem a melhor defesa e encabeça a lista de levantadoras, enquanto a líbero Suelen é a mais eficiente na recepção.
LEIA MAIS
SEMIFINAL DA SUPERLIGA FEMININA
Mesmo não sendo irregular, a modificação desagrada a quem vai entrar em quadra no dia 12, às 9h45. "A gente não vai mais poder jogar em casa. Não sabemos quem é responsável por isso, mas temos que aceitar. A gente só fica chateada, porque Barueri será como a casa do Finasa. Mas isso nos dará ainda mais motivação para vencer", disse a campeã olímpica Mari ao UOL Esporte. Antes, o São Caetano disputa a primeira rodada em Osasco, às 19h deste sábado.

"Tenho que pensar no jogo de agora. Após o jogo de sábado, a gente pode pensar na segunda partida. Perdeu-se o mando de jogo? Perdeu. Já conversei com minhas atletas sobre isso", afirmou o técnico do São Caetano, Chicão, que preferiu não polemizar.

Segundo a assessoria de imprensa da CBV, a alteração ocorreu porque duas emissoras farão a transmissão da partida ao vivo e o ginásio do São Caetano não teria condições de abrigar duas equipes de TV trabalhando simultaneamente. As primeiras opções da entidade eram o ginásio poliesportivo, em São Bernardo do Campo, ou o Ibirapuera, em São Paulo.

A primeira alternativa foi descartada por abrigar o jogo entre Santander/São Bernardo e Cimed/Brasil Telecom, pela semifinal da Superliga masculina, na quinta-feira. A CBV alega que mesmo não havendo confrontos no mesmo dia, o ginásio precisaria ser liberado na própria quinta para o treinamento das equipes. O Ibirapuera estará em uso no dia 12.

"É obvio que o mundo inteiro gostaria de jogar em casa. Mas existem algumas regras e o que está no regulamento tem que ser respeitado. Não seria o ideal porque tínhamos uma média de público muito boa em casa, mas tudo bem. Temos que olhar pelo outro lado. O patrocinador que monta o time, por exemplo, não quer ver sua marca na TV? Claro que quer", declarou Marina Silva, supervisora do São Caetano.

O primeiro parágrafo do artigo 13 do regulamento da Superliga permite a alteração da CBV. "Em qualquer mudança será preservado, prioritariamente, o mando de quadra, conforme tabela da competição, exceto nos jogos transmitidos pela TV Globo, cujo mando de quadra é da CBV", estabelece o documento.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host