Real Madrid anula Messi, vence o Barcelona no Camp Nou e se aproxima do título do Espanhol

Do UOL, em São Paulo

  • AFP PHOTO/JAVIER SORIANO

    Real Madrid fechou o meio-campo, acelerou o contragolpe e venceu por 2 a 1

    Real Madrid fechou o meio-campo, acelerou o contragolpe e venceu por 2 a 1

O Real Madrid provou neste sábado que o Barcelona não é perfeito. Atuando fora de casa, o time madrilenho anulou Messi, impôs forte marcação no meio-campo e venceu o superclássico por 2 a 1. O triunfo no Camp Nou deixou o Real muito próximo do título espanhol.

São 88 pontos atingidos pelo time madrilenho, sete a mais que o Barcelona, segundo colocado. Faltam quatro rodadas para o término do Campeonato Espanhol. Caso as equipes encerrem a competição com mesmo número de pontos, o Barça fica com o título no critério de desempate (confrontos diretos).

Para o superclássico, José Mourinho seguiu postura adotada com sucesso dias antes pelo Chelsea, que bateu o Barça por 1 a 0.

O treinador do Real congestionou o meio-campo, dificultando a costumeira triangulação entre Xavi, Iniesta e Messi. Além disso, Mourinho acelerou os contragolpes, destacando Cristiano Ronaldo aberto pelo lado esquerdo. O craque português explorou as subidas do lateral do Barça, Daniel Alves.

Cristiano Ronaldo criava as principais ações do Real no começo do jogo, sobrecarregando Puyol.

Em jogada de bola parada, o Real Madrid abriu o marcador, aos 18 min da etapa inicial. Di Maria cobrou escanteio e Pepe escorou de cabeça. Valdes tirou parcialmente a bola, sobrando rebote que Khedira, aproveitando indecisão de Puyol na pequena área.

O gol fez o Barcelona reforçar a troca de passe em busca do empate. Um revezamento de marcadores foi montado para vigiar Messi.

Pepe, Khedira, Xabi Alonso e Sergio Ramos alternavam na missão de parar o camisa 10 do Barça.

CORNETA FC: CRISTIANO RONALDO RESPONDE MESSI

Mesmo com maior controle de bola, o Barcelona não ameaçava no ataque. Quando furou a barreira montada pelo Real, Xavi desperdiçou grande chance após passe de Messi. Casillas desviou a bola aos 25 min da 1ª etapa.

A cada recuperação de bola do Real no meio-campo, Cristiano Ronaldo, Ozil e Benzema eram acionados em contra-ataque. Cristiano Ronaldo chegou a marcar no início da etapa final, em contragolpe, mas a arbitragem assinalou impedimento.

Sem conseguir desenvolver infiltrações, o Barcelona trocava passes, mas era ameaçado nos contra-ataques. Tello perdeu grande chance na frente de Casillas.

Guardiola decidiu mudar a estratégia. Tirou um meio-campista, Xavi, e colocou um jogador de frente Alexis. E na primeira jogada, Alexis empatou a partida, lance iniciado por Messi, aos 25 min do segundo tempo.

Não deu tempo para o Barça comemorar. Cristiano Ronaldo em contragolpe recebeu a bola na frente de Valdes e chutou para a meta: 2 a 1. Marrento, o português celebrou o gol fazendo gesto com as mãos para a torcida do Barça como se dissesse "baixem a bola".

A 10 minutos do fim, a tensão aumentou. Cristiano Ronaldo se contorceu no gramado alegando ter sido chutado.

O Barcelona estava atordoado nos minutos finais. Messi era travado pelos marcadores. Não havia criação no meio-campo.  O Real administrava a vantagem no placar, tinha o domínio do jogo e ameaçava o rival em jogadas de contra-ataque. Nos acréscimos, o Real perdeu chances de ampliar a vitória.

2 RECORDES QUEBRADOS CONTRA O RIVAL

  • Além da vitória sobre o maior rival e liderança isolada agora com sete pontos de vantagem, o Real Madrid quebrou dois tabus. O gol de Khedira, que abriu o placar, foi o primeiro do time merengue após quatro anos e meio no campo do Barcelona e também o tento que quebrou o recorde de gols marcados em uma só temporada da Liga. O feito era do próprio Real na temporada de 89/90, que marcou 107 vezes. Neste sábado, o time chegou aos 109.

 



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos