UOL futebol

  • http://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/paulista/ultimas-noticias/2013/02/03/artilheiro-neymar-brilhou-mais-em-decisoes-do-que-o-garcom-ganso-nos-tempos-de-santos.htm
  • Artilheiro, Neymar brilhou mais em decisões do que o garçom Ganso nos tempos de Santos
  • 24/11/2014
  • UOL Esporte - Futebol
  • @UOLEsporte @UOL
  • 2
Tamanho da letra
Neymar marcou 10 gols em decisões pelo Santos, mas Ganso vence em assistências

Neymar marcou 10 gols em decisões pelo Santos, mas Ganso vence em assistências

03/02/2013 - 06h00

Artilheiro, Neymar brilhou mais em decisões do que o garçom Ganso nos tempos de Santos

Lucas Tieppo e Samir Carvalho
Do UOL, em São Paulo e em Santos

Neymar e Paulo Henrique Ganso terão sempre as suas histórias no futebol atreladas mesmo que hoje sejam adversários após a ida do meia para o São Paulo em setembro do ano passado. Depois de anos de parceria, a dupla estará de lados opostos no clássico entre as equipes neste domingo pela 5ª rodada do Paulistão, na Vila Belmiro.

Em oito finais pelo Santos, Neymar foi mais decisivo do que o ex-companheiro de time. O atacante deixou sua marca dez vezes e deu uma assistência, enquanto o meia se destacou com quatro passes para gols e apenas um tento.

Neymar
Neymar

Juntos, Neymar e Ganso tiveram seis conquistas – três Campeonatos Paulistas, uma Copa do Brasil, uma Copa Libertadores e uma Recopa Sul-Americana – e duas derrotas, no Paulistão de 2009 e no Mundial de Clubes de 2011.

Em 2009, a primeira final da dupla como profissionais e nenhum deles conseguiu fazer o Santos derrotar o Corinthians de Ronaldo.

No ano seguinte, veio o primeiro título de Neymar e Ganso com a histórica conquista do Paulistão sobre o Santo André. O atacante balançou as redes duas vezes no jogo final, enquanto o meia, além de duas assistências, teve sua atuação marcada pela forma com que segurou a vantagem nos minutos finais quando o time tinha dois jogadores a menos.

Além disso, Ganso demostrou toda a sua personalidade ao se negar a ser substituído pelo então técnico Dorival Júnior.

No mesmo ano, Neymar foi decisivo na final da Copa do Brasil ao marcar um gol – também perdeu um pênalti de forma displicente -, enquanto Ganso foi apenas discreto.

A partir de 2011, o brilho do atacante passou a ser mais forte que o do eterno parceiro nas decisões finais. Primeiro no Paulistão, quando Ganso se machucou no primeiro jogo da final contra o Corinthians, ficou fora da segunda partida, e viu Neymar marcar um gol na conquista do bicampeonato.

No título da Libertadores, o maior feito da dupla com a camisa alvinegra, Neymar foi sem dúvida mais importante que Ganso. O meia ficou fora de alguns jogos importantes, só atuou na segunda partida da final contra o Peñarol e deu um belo passe de letra para Arouca.

Paulo Henrique Ganso
Paulo Henrique Ganso

Mas quem brilhou mesmo foi Neymar. Na continuação da jogada iniciada pelo camisa 10, a bola terminou nos pés do atacante marcar o primeiro da vitória por 2 a 1.

Já no Mundial de Clubes, Neymar marcou na semifinal, mas os dois fracassaram na decisão contra o Barcelona e quase não foram percebidos em campo. O clima de Ganso era ainda pior por conta de mais uma confusão com a direção santista pela venda de parte dos seus direitos econômicos.

No último ano de parceria, a decisão mais “igual” entre os dois. O Santos conquistou o tri paulista com duas vitórias sobre o Guarani e ambos foram bem. Neymar marcou quatro gols, enquanto Ganso balançou a rede uma vez e deu duas assistências.

A última decisão com Neymar e Ganso no Santos teve a dupla apenas em metade dela. Ganso só jogou o primeiro jogo da Recopa Sul-Americana contra a Universidad de Chile e viu, já como jogador do São Paulo o ex-clube conquistar o título e com gol de Neymar. 

Placar UOL no iPhone