Sem Maracanã, Fla tenta Engenhão, mas esbarra em Botafogo

Bernardo Gentile, Pedro Ivo Almeida, Rodrigo Mattos e Vinicius Konchinski

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Pedro Ivo Almeida/UOL

    Engenhão pode voltar a ser utilizado pelos clubes cariocas no início de outubro

    Engenhão pode voltar a ser utilizado pelos clubes cariocas no início de outubro

Utilizar o Maracanã nas próximas rodadas do Campeonato Brasileiro é um sonho distante para o Flamengo, mas que talvez seja a única solução. Isso porque o Rubro-negro tinha como objetivo utilizar o Engenhão para os próximos jogos. O problema é que o Botafogo, ainda ressentido com o caso Willian Arão, se recusa a abrir qualquer tipo de negociação.

"Acho difícil, embora o prefeito tenha demonstrado muito boa vontade e interesse em que o estádio não fique ocioso. Assim, vamos focar no Maracanã", disse o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, ao UOL Esporte.

Curiosamente, é real a possibilidade de o clássico com o Fluminense ser realizado no Engenhão, já que o Tricolor, mandante do jogo, vendeu o duelo para uma empresa, que sondou o Botafogo para alugar o estádio. O Alvinegro não se oporia desde que receba um valor significativo, mesmo que o Flamengo esteja indiretamente envolvido na negociação.

A ideia da diretoria do Flamengo era mandar o jogo contra o Santa Cruz, marcado para o próximo dia 9 (domingo), no Engenhão. Para isso, o Rubro-negro ofereceu R$ 300 mil por jogo para 'alugar' a casa do Botafogo, o que não avançou. Até mesmo o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, entrou no circuito para tentar solucionar o caso, sem sucesso.

"O estádio passa hoje as mãos do Botafogo. Há um pleito do Flamengo para usá-lo no Campeonato Brasileiro. Eu já liguei para o presidente do Botafogo para que não crie nenhum empecilho para isso", disse Paes, durante evento na tarde desta segunda (19).

Inicialmente, o Maracanã não poderá ser utilizado pelos times cariocas até o dia 30 de outubro. "É a nossa data limite, de contrato", disse o presidente do Comitê Organizador dos Jogos Rio-2016, Carlos Arthur Nuzman. "Há ajustes que precisam ser feitos. O mais importante é que possamos entregar para os clubes o quanto antes, mas não podemos precisar uma data hoje", completou o dirigente.

Além do Engenhão, o Flamengo tenta outra via: a utilização da arena olímpica de rugby em Deodoro. Esta solução, no entanto, seria a última possibilidade para o Rubro-negro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos