Ernando pede para time do Inter não se abalar após novos protestos

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

A segunda-feira (26) foi tensa no CT do Parque Gigante. Com dois protestos, um durante a madrugada e outro à tarde, poucos jogadores foram poupados de xingamentos e palavras de ordem. O zagueiro e capitão Ernando compreendeu as manifestações, mas pediu para o elenco não se abalar com os episódios vividos após a quinta derrota seguida.

"Torcedor tem todo direito, a gente vem de uma série de jogos sem vitória. A situação é complicada, mas há chances e vamos lutar para que essas chances sejam conquistadas pela nossa equipe", disse Ernando.

No protesto realizado à tarde, um grupo de 20 pessoas ateou fogo em um matagal do lado de fora do Centro de Treinamentos. Rojões foram soltados, mas não houve tentativa de invasão ou conflito. Ernando e os outros titulares diante do Atlético-MG sequer saíram do vestiário.

"Tive poucas informações sobre o protesto, fiquei sabendo que alguns torcedores cobraram de todos nós. No aeroporto houve também, eles estavam esperando. Xingando, pedindo atitude melhor em campo. Isso não pode abalar em campo. É o momento, a situação, eles vão cobrar para a gente doar mais, lutar mais, mas isso a gente faz ao natural. É o nosso trabalho, a gente não joga para perder, não jogamos para estarmos nessa situação", comentou.

Com 27 pontos, na 18ª posição, o Internacional acumula cinco derrotas consecutivas. Em 19 rodadas, o time conseguiu apenas uma vitória. E volta a campo na quarta-feira, mas pela Copa do Brasil, diante do Santos, no litoral paulista. No sábado, o Colorado recebe o Figueirense às 21h (Brasília) no Beira-Rio.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos