Mano se mostra incomodado com excesso de gols sofridos: "foge à lógica"

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

A derrota por 3 a 1 diante do Atlético-MG, no clássico do último domingo (2), foi o terceiro jogo do Cruzeiro em um espaço de duas semanas que a equipe saiu de campo vazado por três vezes. Adepto de uma filosofia que prioriza a segurança defensiva, o técnico Mano Menezes não está satisfeito com o rendimento do setor e cobra uma melhora significativa já nos próximos compromissos.

"Dizer que isso é um apagão é simplificar as coisas. As características que minhas equipes têm é que sofrem poucos gols, mas agora temos um fato diferente que foge à lógica. Temos que achar o motivo para isso acontecer. É um injustiça dizer que a culpa é dos dois zagueiros. Mas perdemos um pouco um padrão para se defender. Fazemos ora de um jeito, ora de outro. Agora temos que retomar isso, certamente isso não vai acontecer mais", disse o treinador.

A sequência de gols levados pelo Cruzeiro começou no dia 19 de junho, no empate por 3 a 3 diante do Grêmio, no Mineirão. Após levar apenas um gol diante da Ponte Preta e sair em branco contra o Coritiba, a equipe voltou a sofrer três tentos contra o Palmeiras, no meio da semana, pela Copa do Brasil. Quatro dias depois, o Cruzeiro sofreu outro duro golpe, agora na derrota de virada sobre o Atlético-MG.

"Essa parte defensiva também é parte do treinador. Só tem um jeito de resolver essas questões, que é trabalhando. Prometo ao torcedor do Cruzeiro que no próximo jogo ele não vai levar mais três gols de novo", disse o treinador, já se referindo ao encontro do próximo final de semana, diante do Palmeiras.

"Estou me baseando no que vai acontecer, na prática do que vai acontecer nesta semana de trabalho. O Cruzeiro não terá levado gols nessa quantidade e terá vencido o jogo", completou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos