Bruno Henrique vê desrespeito de Romero no dérbi; corintianos se dividem

Diego Salgado e Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

O volante Bruno Henrique se irritou com a atitude do atacante Romero, que equilibrou a bola na cabeça e levou a torcida à loucura nos minutos finais da vitória do Corinthians por 1 a 0 sobre o Palmeiras, neste domingo (13), pelo Campeonato Brasileiro. O jogador alviverde, que foi um dos mais acintosos ao cobrar o adversário após a jogada, disse que considerou o lance desrespeitoso.

"Isso não é futebol, é desrespeito. Se você faz uma jogada, vai para cima de forma objetiva, é normal. O que ele fez não é uma coisa sadia, porque somos jogadores, e acho que foi desrespeito. Por isso, todos foram para cima dele ali. Eu o xinguei para caramba, porque estava nervoso na hora, e falei bastante besteira para ele", disse Bruno Henrique.

Já o lateral Marcos Rocha, que era o atleta mais próximo ao paraguaio no lance, não quis dar muita importância à jogada. "Ele dominou, a bola subiu. A marcação não estava justa, deixamos espaço no contra-ataque. Nós, dentro de campo, temos de conter as emoções. Não vou agredir um jogador de outra equipe por fazer firula. Mas engraçado que ele só faz quando está ganhando", disse.

O técnico Roger Machado também foi questionado sobre o lance e não quis entrar em polêmica. Como de costume, ele pediu para que a discussão ficasse mais focada no jogo e nas estratégias das equipes.

"Não vamos falar disso, senão a gente leva para o outro clássico. Não vi desrespeito, talvez a bola tenha quicado um pouco mais alto e ele tenha tentado controlar a bola na cabeça. Não vi nada mais que isso, vamos deixar isso de lado", afirmou o treinador.

Roger ainda exaltou o fato de que a partida, ao contrário dos dérbis mais recentes, tenha tido poucos momentos de tensão entre jogadores no campo. "É isso que tem de ser, não dá para a gente estimular nada e debater nada além do jogo, se o Romero faltou com respeito ou não. Vamos analisar dentro do jogo, ver as dificuldades de cada time, como foi um clássico disputado. Que bom que ficou só no campo. Em alguns momentos os nervos ficaram exaltados, mas logo os jogadores voltaram para a partida", concluiu.

Lado do Corinthians

Alguns corintianos se pronunciaram sobre a jogada de Romero. Enquanto Gabriel saiu em defesa do atacante paraguaio, Balbuena disse que repreendeu o companheiro ainda no campo, pois "se fosse do outro lado, ele ficaria chateado". Jadson também disse que não teria tal atitude em pleno clássico.

"Vocês já conhecem o Romero e a torcida também. Não tem muito o que falar. Cada jogador tem sua personalidade, a sua forma de jogar. Foi um lance bonito, a torcida gostou, mas o mais importante foi a vitória que a gente conseguiu", disse o camisa 10, que afirmou que os atletas mais experientes vão "puxar a orelha" de Romero.

"Isso é futebol, tem de ser jogado dessa maneira, Quem ganha vai gostar do lance, quem perde vai chorar. Isso faz parte. Não vejo como um ato de provocação. Isso é a alegria do futebol", disse Gabriel, que afirmou que faria o mesmo no lugar do paraguaio.

Até o presidente Andrés Sanchez comentou o lance. O mandatário, como fez o volante corintiano, minimizou ao afirmar que o atacante usou um recurso para dominar e evitar a saída da bola.

"Foi o recurso que o jogador tem, a bola subiu e ficou na cabeça, não vamos fazer polêmica por causa disso. O futebol está ficando muito chato, e às vezes uma jogada dessa é bonita para todo mundo. Quando se faz na Europa é uma beleza, aqui é tudo ruim", afirmou o dirigente.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos