Flu e Ceará não saem do empate no Rio e seguem ameaçados pela degola

Do UOL, no Rio de Janeiro

Em jogo-chave para as pretensões das equipes no Campeonato Brasileiro, o Fluminense recebeu o Ceará no Maracanã. O empate sem gols não foi bom para nenhuma das equipes, que seguem preocupadas com a proximidade da zona do rebaixamento.

Com o resultado, os cariocas pularam para 42 pontos (a cinco do América-MG, clube que abre o Z-4) e caíram para a 13ª colocação. Os alvinegros atingiram 39 pontos e estão um posto abaixo do Flu. Disputado sob chuva durante todo o tempo, o jogo não foi um bom espetáculo, embora os times tenham tentado superar suas próprias limitações em busca da vitória.

Após o jogo no Maracanã, o Flu volta a campo na quinta-feira, quando enfrenta o Bahia, às 21h, na Fonte Nova. No mesmo dia e horário, os cearenses recebem o Paraná no Castelão.

Flu tenta impor seu ritmo

O técnico Marcelo Oliveira mandou a campo uma equipe montada com apenas dois zagueiros, em vez da tradicional trinca. A equipe tomou a iniciativa desde o primeiro minuto e foi quem ditou o ritmo do jogo na primeira metade.

Participativo pelo lado esquerdo, Ayrton Lucas foi uma boa válvula de escape pelos lados. Já o Ceará entrou um tanto quando disperso na partida e quase viu o Flu fazer valer o seu predomínio inicial. Em bonita jogada individual, Everaldo arrancou do campo do Flu e bateu com muito perigo. Em outra boa jogada individual, Ayrton Lucas também assustou Éverson.

Em uma rara escapada, Samuel Xavier bateu cruzado e a bola passou rente à trave. Apesar do susto, os tricolores seguiram em cima do adversário, mas faltou capricho na hora de concluir no gol adversário.

Defesa de cinema

Não fosse Júlio César, os visitantes teriam inaugurado o placar na etapa inicial. Após cobrança de falta de Juninho, o goleiro do Flu voou no ângulo e fez linda defesa. Na sobra, a bola pingou na área tricolor, mas a defesa conseguiu afastar o perigo.

Ceará superior ao Flu

Em busca de mais velocidade e aproximação ao ataque, o técnico Marcelo Oliveira trocou Cabezas por Matheus Alessandro. A tentativa, contudo, não surtiu o efeito desejado e o Flu seguiu com dificuldades para criar chances mais limpas de gol.

O Ceará encontrou mais espaços no meio, marcou mais presença no campo rival e esteve muito perto de abrir a contagem após chute muito perigoso de Juninho, que foi o nome mais perigoso da equipe.

Com o campo pesado, as equipes sentiram o cansaço e o ritmo caiu demais no Maracanã, ainda que o Alvinegro tenha sido uma equipe mais organizada e perigosa na etapa final. Para sorte dos mandantes, o Ceará não acertou o pé na hora que teve a bola para contra-atacar e o placar seguiu zerado até o fim.

Sangue novo em campo

O técnico Marcelo Oliveira tentou de todos os modos a vitória e lançou o jovem Macula no jogo. Aos 18 anos, o jovem atacante da casa só havia atuado pelo time de cima no empate por 1 a 1 contra a Cabofriense, em jogo válido pelo Estadual. O jogador levou um cartão amarelo logo em seu primeiro lance e tentou impor mais velocidade pelo lado direito.

Escapadinha

No meio do segundo tempo, o técnico Lisca "sumiu" e o Ceará foi dirigido durante alguns minutos pelo auxiliar Marcio Hahn. Após uma escapada para o banheiro no vestiário do Maracanã, o técnico retomou suas funções instantes depois.

Chuva espanta a torcida
LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.
Muito pouco público esteve no Maracanã

O dia frio e chuvoso na capital carioca parece ter espantado o torcedor tricolor na noite desta segunda, já que apenas 6.435 estiveram na arquibancada do Maracanã.

Julião presta homenagem

Titular no jogo desta segunda-feira, o lateral-direito Igor Julião prestou uma homenagem ao tio Adriano, que morreu no último sábado. Em vez de atuar com seu nome estampado às costas, o jogador pediu que o nome do parente fosse colocado na camisa tricolor.

Olha ele
Reprodução/Instagram
Pedro esteve no Maracanã na noite desta segunda

Em recuperação de uma cirurgia no joelho direito, o atacante Pedro esteve no Maracanã na noite de segunda-feira. O artilheiro tricolor faz trabalhos específicos com os fisioterapeutas e a previsão de retorno é entre fevereiro e março de 2019.

Magnata na memória

Ídolo de Fluminense e Ceará, o atacante Magno Alves foi lembrado antes de a bola rolar. Em suas redes sociais, o Tricolor homenageou o atacante, 10º maior artilheiro do clube em todos os tempos.

FLUMINENSE X CEARÁ

Data/hora: 19/11/2018, às 20h (de Brasília)
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Auxiliares: Rafael da Silva Alves (RS) e Cleriston Clay Barreto Rios (SE)
Cartões amarelos: Richardson, Samuel Xavier, Felipe Azevedo (CEA); Ayrton Lucas, Macula, Airton, Richard (FLU)
Cartões vermelhos: - 
Gols: - 

Fluminense
Júlio César; Igor Julião, Gum, Digão e Ayrton Lucas; Richard, Airton e Sornoza (Macula); Cabezas (Matheus Alessandro), Everaldo (Marcos Jr.) e Luciano
Técnico: Marcelo Oliveira

Ceará
Éverson; Samuel Xavier, Tiago Alves, Luiz Otávio e Felipe Jonatan; Juninho, Richardson, Calyson (Ricardinho); Felipe Azevedo, Ricardo Bueno (Arthur) e Leandro Carvalho (Eder Luis)
Técnico: Lisca

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos