Levir fala em sofrência e brinca após vitória: "não falei que seria fácil?"

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

Descontraído após a vitória do Atlético-MG por 1 a 0 diante do Botafogo, que garantiu o Galo no G-6 e na pré-Libertadores de 2019, o técnico Levir Culpi esbanjou bom humor em mais uma de suas entrevistas. Mais uma vez, ele citou a sofrência para definir um triunfo atleticano com ares de drama e tensão. Levir ainda ironizou a vitória apertada e o histórico de jogos emocionantes no comando alvinegro.

"Não falei que ia ser fácil? Todo mundo viu (risos). Tem que ter essa sofrência, não sei quem escreveu isso, mas em todas as vezes acontece algo parecido. Sobre o jogo, passamos alguns momentos de perigo, mas, se levarmos em conta as chances, a vitória foi merecida. Foi no momento certo, todo mundo feliz, de férias e já pensando no que vai acontecer na próxima temporada", brincou.

De fato, o Atlético começou o jogo melhor, abriu o placar com Cazares e poderia ter matado o jogo ainda no primeiro tempo. Na etapa final, a equipe voltou a atacar com perigo, mas começou a sofrer com as ofensivas cariocas. Nos últimos 15 minutos, veio o drama. O Atlético-PR virou a partida contra o Flamengo, deixando a classificação para a Libertadores ameaçada. Mas o time conseguiu se segurar e ficar com os três pontos. Levir ainda falou dessa emoção bastante presente em jogos decisivos com o Atlético, seja nesta ou nas quatro passagens anteriores pelo clube.

"A gente percebe que existe alguma coisa boa. Um clima bom, uma energia boa. Me lembro quando eu vim pela primeira vez para Belo Horizonte. O relacionamento com o povo é muito engraçado, tem uma afinidade que não sei explicar. É espontâneo. Me sinto muito bem aqui, agradecido pela oportunidade de retornar. Talvez essa seja a última", brincou.

Treinador lembrou de Thiago Larghi

Levir Culpi assumiu o Atlético na 30ª rodada. Após três derrotas seguidas, o treinador conseguiu seus primeiros resultados positivos, vencendo cinco jogos, empatando um e perdendo outro. Agora classificado, o treinador não deixou de citar seu antecessor, Thiago Larghi, que treinou o time na maior parte do torneio.

"Eu estou de carona nessa conquista. Fiquei pouco tempo, os parabéns vão para o Thiago (Larghi), que começou esse trabalho. Fiz muitas mexidas, mas usei o óbvio, o normal do time. Peguei a carona e acabei me dando bem. Mas faço questão de dividir isso com a diretoria e com o Thiago", concluiu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos