Com reservas, Inter elimina o Santos e vai à semifinal após 7 anos

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

O Internacional está na semifinal da Copa do Brasil. A vaga chegou com vitória de 2 a 0, gols de Aylon e Eduardo Sasha, nesta quarta-feira (19), no estádio Beira-Rio. Mesmo com time reserva, o Colorado conseguiu ser efetivo. Marcou no começo e no final do duelo, segurou a pressão do Santos e reverteu o placar agregado do confronto. Agora, o time dirigido por Celso Roth pega o Atlético-MG, que eliminou o Juventude nos pênaltis (4 a 2).

Na partida de ida, dentro da Vila Belmiro, o Santos venceu por 2 a 1. O gol de Seijas fora de casa deu a chance para uma classificação com vitória mínima. E ela aconteceu até o final, quando o desespero já havia batido no time de Dorival Júnior e o Inter ampliou.

De volta às semifinais do torneio após sete anos, o Internacional joga novamente pela Copa do Brasil na próxima quarta-feira (26). O segundo jogo da fase está programado para 2 de novembro.

Os mandos de campo serão sorteados na sede da CBF, nesta quinta-feira, às 11h (Brasília).

Quem foi bem: Danilo Fernandes ajuda a segurar

O gol cedo ajudou, a bola por cobertura de Eduardo Sasha fechou o confronto, mas no meio disso tudo teve Danilo Fernandes. O camisa 1 fez duas grandes defesas e ajudou a segurar o Santos. Nas poucas chances do time visitante, o goleiro apareceu. Primeiro ao espalmar chute colocado de Lucas Lima e depois ao afastar cabeceio de Ricardo Oliveira.

Quem fracassou: Lucas Lima comanda, mas não decide

Vaiado desde a escalação, o camisa 10 foi o centro do jogo do Santos. Tentou de tudo, mas não fez a diferença para confirmar a vitória na partida de ida. Até deixou Ricardo Oliveira na cara do gol e não deu certo. Quando tentou finalizar, pecou ou na força ou na pontaria.

Aylon, o carrasco do Santos em 2016

Atacante participou de três dos quatro jogos entre os times neste ano. Marcou gol todas as vezes que jogou. Na Vila Belmiro, no primeiro turno do Brasileirão, marcou de cabeça. No returno, de peito. Só ficou de fora da primeira partida das quartas de final da Copa do Brasil.

Inter faz cedo e depois se fecha

Dez minutos de iniciativa, um gol e depois só defesa. O Inter entrou com time quase todo de reservas, mas com uma estratégia clara: marcar cedo e depois segurar com linhas próximas e um time ultra compacto. Quando errou, teve sorte e conseguiu ir para o intervalo com a vaga. No segundo tempo a consistência defensiva bateu recorde. Mesmo acossado, o Colorado sustentou suas linhas e não sofreu com nenhuma chance de gol do Santos. Nos últimos 15 minutos, passou a explorar o contra-ataque e ainda viu Eduardo Sasha marcar belo gol.

Santos se joga todo para frente

Depois de início passivo, sucumbindo às tentativas do Inter, o Santos rapidamente dominou o meio-campo e usou bem o espaço dado pelo adversário recuado. O volume, contudo, rendeu poucas chances claras. Quando furou a retranca de Celso Roth, o time santista parou em Danilo Fernandes. Na etapa final o volume foi totalmente inócuo. Mesmo girando a bola na frente da área do Colorado, não conseguiu furar e nem arriscar de longe. O resultado? Espaço para contra-ataque e desespero no final.

Duas lesões em três minutos

O Inter teve que usar duas das suas três substituições em um intervalo de campo curtíssimo. Aos 18, Eduardo levou a pior em lance com Alan Costa e Copete. Uma das pernas do camisa 30 ficou presa e houve problema no joelho. Aos 20, Fabinho caiu sozinho com dores na cabeça e também teve que ser sacado.

Roth monta linha de cinco e proíbe posse de bola

Com apenas três titulares, Celso Roth tentou minimizar os riscos inerentes a um time sem entrosamento. Depois de marcar seu gol, o Inter se fechou e montou uma linha de cinco no meio-campo. Com destaque para grande entrega de Sasha e Alex na recomposição. Ainda no primeiro tempo, o treinador ordenou que Danilo não tentasse dominar recuos ou bolas fracas. A ordem foi para afastar e abrir mão da posse, só à espera dos contra-ataques.

Dorival espeta Victor Ferraz e tenta de tudo

Sem Vitor Bueno e Vecchio, Dorival Júnior escalou Paulinho. E depois de um começo fraco, passivo, o Santos tomou o controle e foi para cima. Com bloco ofensivo, amplitude, infiltrações e orbitando ao redor de Lucas Lima. Victor Ferraz foi espetado quase como um extrema na missão de gerar superioridade. Mesmo com o efeito, faltou tomada de atitude e precisão. Aos 29 do segundo tempo, o treinador tirou David Braz e lançou Rafael Longuine em um esboço da cartada final.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 2 X 0 SANTOS

Data: 19/10/2016 (quarta-feira)
Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Público: 17.249 pessoas (15.065 pagantes)
Renda: R$ 188.390,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises e Luiz Claudio Regazone (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Andrigo (INT)
Gols: Aylon, aos 9 minutos do primeiro tempo; Eduardo Sasha, aos 44 minutos do segundo tempo

INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; Eduardo (Ceará), Alan Costa, Ernando e Geferson; Fabinho, Eduardo Henrique, Eduardo Sasha, Andrigo (Valdívia) e Alex; Aylon (Vitinho)
Técnico: Celso Roth

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, David Braz (Rafael Longuine) e Zeca; Thiago Maia, Renato, Paulinho (Joel), Lucas Lima e Copete; Ricardo Oliveira
Técnico: Dorival Júnior

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos