Briga no vestiário e árbitro machucado. Jogo da Chape termina em confusão

Do UOL, em Belo Horizonte

  • SporTV/Reprodução

    Quarto árbitro Evandro Tiago Bender sangra após ser atingido por objeto jogado por torcedor na Arena Condá após Chapecoense x Cruzeiro

    Quarto árbitro Evandro Tiago Bender sangra após ser atingido por objeto jogado por torcedor na Arena Condá após Chapecoense x Cruzeiro

Assim que o árbitro Pericles Bassols apitou o final do jogo entre Chapecoense x Cruzeiro, pela Copa do Brasil e que terminou com a classificação do time mineiro, uma confusão generalizada tomou conta da Arena Condá. Irritados com a atuação do trio de arbitragem na eliminação, os jogadores do time da casa cercaram o trio de arbitragem e reclamaram bastante. A confusão seguiu para os vestiários da Arena Condá e continuou até nas arquibancadas.

O primeiro tumulto aconteceu ainda dentro de campo. Insatisfeitos com a arbitragem de Pericles Bassols, jogadores da Chapecoense cercaram o juiz e a Polícia Militar precisou ser acionada. Inclusive, o lateral esquerdo Reinaldo recebeu o cartão vermelho pela confusão.

"Lutamos muito. Não pode falar. Os caras vêm para fazer cera o jogo todo e o Bassols parecia apresentador de televisão com o microfone na mão, falava o tempo todo e não deixava o jogo seguir. Ele não consegue apitar nem na várzea, se não vai apanhar", afirmou o atacante Rossi em entrevista ao canal de TV por assinatura SporTV após a partida.

Minutos depois, uma correria em direção ao vestiário visitante tomou conta do cenário. Jogadores, diretores e membros do time catarinense discutiram muito com os atletas e cartolas do Cruzeiro. Pelas imagens da televisão não foi possível identificar a causa da confusão; entretanto, segundo relatos, o presidente da Chape, Plínio de Nês, reagiu após um cruzeirense ter chamado a cidade de Chapecó de "terrinha de ignorante".

O que ficou claro foi o lateral esquerdo Diogo Barbosa arremessando um copo de água mineral, mas já durante o tumulto. Segundo o SporTV, o responsável pelo início da briga seria o zagueiro Léo, que atirou uma garrafa d'água contra jogadores da Chapecoense; Victor Ramos, defensor da Chape, não gostou e partiu para cima do cruzeirense no túnel de acesso aos vestiários.

SporTV/Reprodução
Imagem registra Diogo Barbosa atirando copo d'água

Em entrevista ao canal, o técnico Vagner Mancini disse que uma garrafa teria sido arremessada em direção aos membros da Chapecoense na entrada para os vestiários.

"Jogou a garrafa na cara da gente. Eu vim aqui (no vestiário) para separar. Os caras saíram do vestiário e jogaram uma garrafa na gente. Não vi quem foi. Eu estava no campo; quando vim para cá, vi que estava a confusão", comentou o treinador.

Em meio a tudo isso, os árbitros da partida apareceram escoltados em direção ao vestiário. O quarto árbitro, Evandro Tiago Bender, foi ferido e apareceu com o rosto sangrando. Nas arquibancadas, após muito empurra empurra, um torcedor foi identificado e detido pela Polícia Militar, enquanto Evandro seguiu para o vestiário para receber atendimento médico.

"Estamos fazendo o relatório sobre tudo o que aconteceu, dentro e também fora de campo. Estávamos protegidos pela Polícia Militar e jogaram uma pedra, mas não sei direito qual objeto foi. Cortou meu rosto, mas já identificaram quem jogou", disse Evandro após a confusão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos