Topo

Corinthians

Comprar ingresso
Comprar ingresso

Corinthians segura pressão do Ferroviário, arranca empate e se classifica

ROBSON VILELA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: ROBSON VILELA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

07/02/2019 22h55

A estreia na Copa do Brasil foi sofrida demais, mas o Corinthians sobrevive à primeira fase com o empate por 2 a 2 com o Ferroviário-CE. No Estádio do Café, em Londrina-PR, o time de Fábio Carille ficou atrás do placar duas vezes devido a falhas aéreas em gols de Edson Cariús, mas Gustavo se mostrou artilheiro e também fez dois.

A igualdade beneficia o Corinthians, como prevê o regulamento da Copa do Brasil. O Alvinegro agora espera o vencedor de Avenida-RS e Guarani-SP para conhecer o adversário da segunda fase do mata-mata, que também tem jogo único, no próximo dia 20. Antes disso o time volta a campo neste domingo (10), contra o Novorizontino, pelo Campeonato Paulista.

Quem foi bem: Gustavo não perdoa e se torna indispensável

ROBSON VILELA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: ROBSON VILELA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
O centroavante parece outro jogador quando comparado à primeira passagem pelo Corinthians. É referência, não perde a calma com a bola e faz bom pivô. A habilidade não é de craque, mas Gustavo exerce bem as tarefas que dele se espera. Com isso, tem sido recompensado com gols e conquistado enorme importância na equipe: dos seis gols feitos na temporada, quatro são dele. Do lado do Ferroviário, Cariús também foi muito bem com dois gols.

Quem foi mal: Manoel e Henrique erram quase todas

A dupla de zaga do Corinthians teve noite para esquecer, com falhas seguidas e pouquíssimos acertos. Praticamente todas as chances do Ferroviário foram criadas ou agravadas por causa dos zagueiros. Henrique errou por cima e por baixo no primeiro gol do Ferroviário, enquanto Manoel perdeu a marcação no segundo.

Vagner Love reestreia buscando o jogo

ROBSON VILELA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: ROBSON VILELA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
O camisa 9 se movimentou bem, funcionando como um segundo atacante. No papel, saía da esquerda para buscar jogo por dentro e se aproximar de Gustavo, mas por vezes apareceu também pela direita. Por muito tempo foi a única peça de velocidade na equipe, daí sua importância. Na melhor chance que teve, ainda no início, Love desperdiçou bom pivô do centroavante e errou chute de primeira.

Corinthians fica desajustado e tem problemas

Faltou intensidade e preenchimento de espaços no Corinthians, que passou metade do jogo sem se encontrar em campo. Ramiro, Sornoza e Jadson acabaram concentrados nos mesmos setores, e houve dificuldade para abrir o jogo nas pontas. Os gols saíram em jogadas pouco trabalhadas: o primeiro em uma entregada do goleiro adversário, o segundo em finalização precisa de Gustavo.

Ferroviário encara o jogo sem se intimidar

Foi perceptível a limitação do time cearense, mas o coletivo compensou os erros individuais. O camisa 10 Janeudo teve boa participação na criação, dando até chapéu em Fagner, enquanto Edson Cariús mostrou faro de artilheiro nas poucas chances que teve.

Carille vê losango "amarrar" armação

O Corinthians começou o jogo com um losango no meio-campo: Ralf na contenção, acompanhado por Sornoza e Ramiro, com Jadson centralizado. A formação embolou os jogadores e prejudicou a saída de bola. Neste cenário, o camisa 10 precisou recuar várias vezes para começar os lances, o que criou um buraco na armação. No segundo tempo o time melhorou um pouco com Mateus Vital e Pedrinho abertos nas pontas.

"Moscada" de goleiro esfria o Ferroviário

O time cearense conseguiu abrir o placar com Edson Cariús, mas a vantagem durou apenas quatro minutos por culpa de Gleibson. O goleiro não conseguiu encaixar uma bola fácil e, caído no gramado, deixou o lance limpo para Gustavo empatar. Foi seu único erro indiscutível na partida, mas custou muito porque obrigou o Ferroviário a buscar de novo o gol - a equipe até conseguiu, mas Gustavo novamente empataria.

Corinthians perde o fôlego e sofre

A metade final do segundo tempo foi dominada pelo Ferroviário, que frequentou a intermediária alvinegra sem encontrar muita resistência. Mesmo com Vital e Pedrinho em campo, o Corinthians não conseguiu contra-atacar e se viu sitiado em seu campo. Não fosse a baixa qualidade da equipe cearense, a história do jogo poderia muito bem ser outra. Não à toa o Alvinegro saiu vaiado do gramado do Estádio do Café.

Bola aérea segue aterrorizando o Corinthians

Em seis partidas na temporada, o Alvinegro já sofreu cinco gols pela bola aérea - contra Guarani, Red Bull (2) e agora Ferroviário (2). O problema é crônico há muito tempo, tendo sido bastante grave em 2018 e neste ano segue como principal fragilidade defensiva. Nesta quinta-feira, Fagner e Ramiro permitiram o cruzamento do primeiro gol; e o segundo saiu por desatenção de Avelar.

Ficha Técnica

Ferroviário-CE 2 x 2 Corinthians

Data: 7 de fevereiro de 2019
Local: Estádio do Café, Londrina-PR
Hora: 21h00 (de Brasília)
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior
Assistentes: Luciano Roggenbaum e Luiz Souza Santos Renesto
Cartões Amarelos: Mazinho, Luis Fernando e Da Silva (Ferroviário)
Cartão Vermelho: não houve

Gols: Edson Cariús aos 15', e Gustavo aos 19 minutos do primeiro tempo. Edson Cariús aos 9', e Gustavo aos 10 minutos do segundo tempo.

Ferroviário-CE: Gleibson; Gustavo, Da Silva, Luis Fernando e Fernandes (Jean); Mazinho, Leanderson (Emerson Catarina), Janeudo e Enercino (Isaac); Klenisson e Edson Cariús. Treinador: Marcelo Vilar.

Corinthians: Cássio; Fagner, Manoel, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Ramiro (Mateus Vital), Sornoza, Jadson e Vagner Love (Pedrinho); Gustavo (Boselli). Treinador: Fábio Carille.

Mais Corinthians