Atlético-PR se impõe ao Flu, vence em casa e leva boa vantagem para a semi

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Heuler Andrey / AFP

    Renan Lodi festeja gol que abriu a contagem em Curitiba

    Renan Lodi festeja gol que abriu a contagem em Curitiba

Na partida de ida da semifinal da Copa Sul-Americana, o Atlético-PR venceu o Fluminense por 2 a 0, com gols de Renan Lodi e Rony, e leva para o Rio de Janeiro a vantagem de perder por até um gol para avançar à finalíssima.

Assista aos melhores momentos e gols da partida.

Os times fizeram uma partida disputada a mil quilômetros por hora, com alternâncias e muitas oportunidades criadas pelos mandantes, que carimbaram o travessão duas vezes e esbarraram no goleiro Júlio César. As equipes decidem sua sorte no torneio continental no próximo dia 28, no Maracanã.

Após o duelo continental, as equipes voltam suas atenções para o Campeonato Brasileiro. No sábado, o Furacão recebe a visita do Cruzeiro, às 19h, na Arena da Baixada. Já o Flu encara no domingo o Sport, às 19h, no Maracanã.

Ataque bem, defesa mal

O sistema defensivo do Fluminense não teve uma noite feliz em Curitiba. Mal na saída de bola e no posicionamento, a trinca de zagueiros e os alas foram superados pelos homens de frente atleticanos, com destaque para Cirino e Nikão, duas grandes armas do Furacão nesta noite.

Um dos jogadores mais regulares do Tricolor na temporada, Ayrton Lucas teve atuação ruim, o que fez a produção do atacante Everaldo cair um pouco na capital paranaense.

O melhor: Renan Lodi é decisivo

O lateral do Atlético abriu o placar e deu o passe para o segundo gol, além de fazer uma boa partida na marcação. Foi o grande nome na noite de festa vermelha e preta.

Blitz rubro-negra
MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC
Rena Lodi e Ayrton Lucas disputam bola: Furacão melhor no primeiro tempo

O jogo começou de forma eletrizante na Arena da Baixada. O Flu tentou adiantar a marcação, mas os donos da casa encontraram espaços com muita velocidade, em especial pelos lados do campo.

Em menos de 12 minutos, o Atlético teve chances reais com Pablo, mas Júlio César levou a melhor. Apesar dessa pressão do rival, o Flu tentou manter a calma e também quase chegou lá. Na melhor chance tricolor, Santos fez defesas sucessivas em cabeçadas de Gum e Luciano.

Mas a pressão rubro-negra logo deu resultado. Aos 18 minutos, o lateral Renan Lodi aproveitou rebote, bateu em cima da zaga, mas chutou sem chance alguma para o goleiro tricolor na volta.

Os tricolores se assustaram com o gol e viram o adversário subir ainda mais a temperatura do jogo. Quase em sequência, Cirino e Nikão levaram muito perigo, mas não acertaram o alvo.  Os atleticanos colecionaram oportunidades e, na melhor delas, Lucho carimbou a trave. Em seu melhor momento, Everaldo roubou a bola de Jonathan e Santos salvou. Ao fim do primeiro tempo, aplausos da torcida local e suspiro de alívio por parte dos tricolores.

Júlio César evita estrago

Não fosse a atuação do goleiro do Flu, o elenco desembarcaria no Rio com um prejuízo muito maior. Apenas no primeiro tempo, Júlio César salvou sua equipe em ao menos cinco ocasiões.

Furacão liquida

O Fluminense voltou com uma postura mais agressiva para a etapa final e ocupou mais o campo do adversário. Com maior participação de Everaldo, o time rondou mais a área de Santos, ainda que só tenha levado perigo aos 12 minutos, quando Sornoza bateu de longe.

Após a correria dos primeiros 45 minutos, a intensidade do Atlético caiu e o time deu mais espaços para o Flu, que teve mais espaços, mas não chegou a assustar.

Apesar da queda do ritmo, o Atlético ainda esteve perto de ampliar, mas Pablo acertou o travessão dos cariocas, e Júlio César, mais uma vez, saiu nos pés de Rony para evitar mais um gol. Aos 32, no entanto, o atacante não falhou. Após ótimo cruzamento de Lodi, Rony cabeceou sem chance alguma de defesa.

O Fluminense sentiu novamente o gol e ficou exposto ao terceiro gol, o que acabou não acontecendo. Fim do primeiro capítulo da semi, que terá seu desfecho no próximo dia 28.

Recorde

Na partida diante do Fluminense, o Atlético bateu seu recorde de público na temporada, com 28.403 torcedores na Arena. A melhor marca em 2018 havia sido no clássico diante do Coritiba.

Minoria barulhenta

Boa parte dos 2,3 mil lugares destinados aos tricolores estava ocupado por uma animada e barulhenta torcida, que cantou alto antes e durante a partida.

Ídolo na área

Campeão brasileiro em 2001 pelo Furacão, o ex-atacante Paulo Rink esteve na Arena. Antes de a bola rolar, ele participou de um programa transmitido nas redes do Rubro-negro.

Festa na chegada

A torcida do Atlético-PR recebeu o ônibus do time com uma festa recheada de funaça e sinalizadores. Os atleticanos formaram um corredor e escoltaram o veículo até a chagada ao estádio.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-PR x FLUMINENSE

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 7/11/2018
Horário: 21h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Roddy Zambrano (EQU)
Assistentes: Christian Lescano e Bryon Romero (EQU)
VAR: Mauro Vigliano, Patricio Loustau e Hernan Maidana (ARG)
Cartões amarelos: Marcelo Cirino, Lucho (ATL), Renan Lodi; Ayrton Lucas, Everaldo (FLU)
Cartões vermelhos:
Gols: Renan Lodi, aos 18 minutos do primeiro tempo; Rony, aos 32 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-PR
Santos; Jonathan, Thiago Heleno, Léo Pereira e Renan Lodi; Bruno Guimarães, Lucho González (Wellington) e Raphael Veiga; Nikão, Marcelo Cirino (Rony) e Pablo (Bergson). Técnico: Tiago Nunes.

FLUMINENSE
Júlio César; Gum, Digão, Ibanez; Jadson, Airton (Léo), Richard, Jadson, Sornoza (Junior Dutra), Ayrton Lucas; Everaldo (Marcos Junior), Luciano. Técnico: Marcelo Oliveira.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos