No dia do "fico" de Zé Ricardo, Portuguesa vence reservas do Vasco

Do UOL, no Rio de Janeiro

No "clássico" dos clubes cariocas de origem lusitana, a Portuguesa levou a melhor sobre o Vasco. Com gol de Tiago Amaral, a Lusa foi melhor e mereceu a vitória por 1 a 0 no Campeonato Carioca.

Se não teve o que comemorar em campo, os vascaínos festejaram uma boa notícia fora das quatro linhas.  Após recusar oferta milionária do Al-Ahli, Zé Ricardo anunciou que permanece no Vasco.

Muito mexido em relação ao time que conseguiu a vaga na fase de grupos da Libertadores, um Vasco praticamente formado 100% por reservas sucumbiu a um adversário que fez uma partida inteligente e que soube explorar as fragilidades do rival.

Depois da partida contra a Portuguesa, o Vasco só volta a campo na próxima quinta-feira, quando encara o Macaé, às 19h30, em São Januário.

Lusa superior

Com muitos jogadores que não têm atuado com tanta frequência, casos de Gabriel Félix, Andrey e Bruno Paulista, o Vasco teve dificuldades no início da partida contra a Portuguesa, que foi um adversário bem organizado em campo.

Com muita lentidão, o Vasco até teve mais a bola, mas não teve objetividade alguma. A Lusa, por sua vez, levava perigo na hora em que retomava a posse. Diante deste cenário, o gol da "zebra", mascote da equipe da Ilha, amadurecia. Após bom cabeceio, Marcão acertou a trave vascaína, e Romarinho fez Gabriel Félix se esticar para grande defesa após forte chute.

Aos 29 minutos, Tiago Amaral aproveitou uma sobra na área depois de uma linha de passe dentro da área cruz-maltina para abrir o placar. A vantagem animou a Portuguesa, que quase ampliou com Romarinho. Encolhido, o Vasco só assustou no último minuto, quando Adriano salvou chute de Rildo bem em cima da linha. Dada a disparidade do rendimento dos dois times, a vitória rubro-verde foi um retrato fiel do que foram os primeiros 45 minutos.

Pressão sem resultado

Em desvantagem, o técnico Zé Ricardo tratou de correr riscos. Logo no intervalo, o técnico Zé Ricardo tirou o volante Bruno Paulista e colocou o atacante Caio Monteiro em seu lugar.

A inferioridade no placar fez os vascaínos se atirarem um pouco mais, mas faltou organização. Com a vitória parcial, a Portuguesa manteve a postura bem definida e esperou o Vasco vir para cima.

Muito mais na base na vontade do que na organização, o Vasco empurrou o rival para seu campo de defesa e abusou dos lançamentos e bolas altas. Preocupado com as investidas, o técnico João Carlos Ângelo reforçou seu sistema defensivo e deixou para Romarinho a incumbência de ser o desafogo da equipe.

Os vascaínos insistiram, mas o time da Portuguesa conseguiu resistir à pressão e deixou o Giulite Coutinho comemorando sua segunda vitória em dois jogos na Taça Rio.

Descanso

Após a desgastante classificação à fase de grupos da Libertadores, o técnico Zé Ricardo optou por dar descanso aos jogadores titulares que participaram da partida contra o Jorge Wilstermann. Do grupo que entrou em campo em Sucre, o treinador deixou em casa nomes como Martín Silva, Evander, Paulinho, Wagner e Pikachu. 

Dia de estreia

Emprestado pelo Corinthians, o meia Giovanni Augusto vestiu pela primeira vez a camisa vascaína. Nitidamente sem ritmo de jogo e entrosamento, o camisa 26 teve uma participação para lá de discreta em Edson Passos.

Nos braços da galera 

O técnico Zé Ricardo já experimentou o carinho dos vascaínos após anunciar sua decisão de permanecer no Vasco. Assim que pisou no campo, o treinador teve seu nome cantado pelos vascaínos que estavam ao lado do banco de reservas.

Fim do jejum

A última vez que a Portuguesa havia vencido o Vasco foi no dia 23 de julho de 1964. Ao longo destes 54 anos sem vitórias, a Lusa encarou os vascaínos em 36 oportunidades.

Tuiteiro animado

O responsável pelo Twitter da Portuguesa adotou um tom bem humorado para contar os lances da partida contra o Vasco. Uma tesoura em um jogador da Lusa foi tratada como "volta às aulas".

Já o goleiro vascaíno Gabriel Félix foi tratado como "cabra" após uma bela defesa. E nem Riascos foi poupado: depois de isolar uma bola, a postagem pedia ajuda para um vizinho encontrá-la.

PORTUGUESA 1 X 0 VASCO

Data/hora: 25/02/2017, às 17h (de Brasília)
Local: Giulite Coutinho, em Mesquita (RJ)
Árbitro: Carlos Eduardo Nunes Braga
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés e Gilberto Stina Pereira
Cartões amarelos:  Bruno Paulista, Thiago Galhardo, Erazo (VAS); Tiago Amaral, Maicon Assis, Luan (POR)
Cartões vermelhos: não houve
Gols: Tiago Amaral, aos 29 minutos do primeiro tempo

Portuguesa
Milton Raphael; Adriano, Luan, Marcão e Diego Maia; Muniz, Jhonnatan e Maicon Assis (Emerson); Romarinho (Philip), Sassá (Ygor) e Tiago Amaral. Técnico: João Carlos Ângelo.

Vasco
Gabriel Félix; Rafael Galhardo (Luiz Gustavo), Werley, Erazo e Fabrício; Andrey, Bruno Paulista (Caio Monteiro), Rildo, Thiago Galhardo (Paulo Vitor) e Giovanni Augusto; Riascos. Técnico: Zé Ricardo

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos