Gabigol perde paciência com banco e vai para os vestiários antes da hora

Do UOL, em São Paulo

Pouco aproveitado ao longo de toda a temporada do futebol italiano e trabalhando com seu terceiro treinador desde que chegou à Inter de Milão, o brasileiro Gabigol perdeu a paciência com o banco de reservas neste domingo (21) ao não ser colocado em campo pelo técnico Stefano Vecchi e se retirou antecipadamente aos vestiários no Estádio Olímpico de Roma na vitória por 3 a 1 sobre a Lazio.

A transmissão da partida capturou a reação do jogador, que volta ao banco, tira proteções das meias e se encaminha para o túnel dos vestiários, para surpresa de membros da comissão da Inter que estavam no local.

Em entrevista coletiva após a partida, Stefano Vecchi, interino que assumiu no lugar do demitido Stefano Pioli, mostrou irritação com a atitude do atacante de 20 anos. "Todos que estão no banco esperam para entrar, talvez ele tivesse outras expectativas, e elas eram altas da parte dele e da equipe. Mas nem sempre a culpa é do treinador. Ele tem grandes qualidades, mas deve se colocar a serviço do grupo", afirmou.

"Neste elenco há um nível alto de jogadores. Icardi fez 25 gols, Eder, Palacio que não podemos esquecer que é um grande homem e profissional, está fora mas treina a mil por hora e por isso deve ser um exemplo", analisou.

Contratado no meio de 2016 pela Inter de Milão, Gabigol foi pouco utilizado por Frank De Boer e chegou até a ganhar algum espaço com Pioli, técnico que lhe deu mais oportunidades em campo.

Desde a demissão de Pioli no último dia 9 de maio, no entanto, Gabigol só atuou na derrota em casa para o Sassuolo, sua décima partida na temporada, com um total de 184 minutos dentro das quatro linhas – pouco mais de dois jogos completos. Apesar da fama artilheira, o atacante marcou somente um gol.

UOL Cursos Online

Todos os cursos