Palmeiras usa Libertadores para consolidar imagem de "time de guerreiros"

Danilo Lavieri e José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo

Uma vitória suada, nos acréscimos dos acréscimos, time de guerreiro, se não dá na técnica vai na raça. Todas essas frases marcaram o pós-jogo do Palmeiras em cima do Jorge Wilstermann na noite da última quarta-feira (15), no Allianz Parque. Yerri Mina fez o gol aos 50 minutos do 2º tempo e colocou o time na liderança do grupo 5 da Libertadores com quatro pontos.

O primeiro deles havia sido conquistado na Argentina, no empate por 1 a 1 com o Atlético Tucumán, com um jogador a menos desde os 25 minutos do 1º tempo. E no pós-jogo o discurso já havia sido o mesmo, especialmente com Felipe Melo, que se exaltou ao comemorar o ponto conquistado fora de casa.

Na quarta-feira, o primeiro a usar as expressões foi Dudu, ainda na saída de campo. "Acho que nosso time desde a Argentina está sendo guerreiro, não está desistindo das jogadas. Hoje a gente lutou até o último momento. De novo não fizemos uma boa partida, o time deles enrolou muito com a bola, mas a Libertadores é assim. Isso serve para quando for jogar fora de casa também", afirmou o camisa 7.

Felipe Melo, que teve destaque em campo, especialmente no segundo tempo, também aproveitou a ocasião para ressaltar a entrega de seus companheiros.

"A gente teve 90 minutos de paciência, luta e muito combate e garra para buscar o gol. Futebol sul-americano é assim, aqui não é que nem a Champions League", analisou o experiente jogador.

Edu Dracena, que substituiu o suspenso Vitor Hugo contra os bolivianos, é um dos mais experientes do elenco em termos de Libertadores. O atleta repetiu o mesmo discurso de seus companheiros.

"Vencer de maneira bonita, jogando bem, na bola e na técnica é importante. Mas se não dá na técnica vai assim mesmo", ponderou.

Por fim, Eduardo Baptista mostrou que tem a mesma ideia para formar a equipe nesta disputa da Libertadores. Depois de elogiar bastante a vontade do primeiro jogo da competição, na Argentina, o técnico citou de novo a entrega de seus atletas.

"Vitórias não podem empolgar, mas essa de hoje nos mostra um time com identidade, extremamente aguerrido e técnico. Tentamos jogar a todo momento, mesmo contra uma primeira linha de cinco, com quatro na segunda linha de marcação, um adversário muito compacto. O nosso time está criando uma identidade de luta, sem deixar a qualidade técnica de lado. Tem muito para percorrer, mas essa semana está sendo boa, mostrando um caminho bom para ser seguido".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos