Palmeiras diz que Felipe Melo voltou a sofrer racismo de atletas do Peñarol

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • AP/Matilde Campodonico

    Zé Roberto tenta afastar Melo de confusão com uruguaios; volante teria sofrido racismo

    Zé Roberto tenta afastar Melo de confusão com uruguaios; volante teria sofrido racismo

Principal personagem da briga que marcou a vitória do Palmeiras por 3 a 2 sobre o Peñarol, Felipe Melo teria sofrido racismo em campo. A informação foi divulgada por Gustavo H. Souza, assessor de imprensa e membro do estafe do volante, que publicou a acusação em seu Twitter. Fontes do Palmeiras depois confirmaram a injúria sofrida pelo camisa 30 ao UOL Esporte.

"Depois ele conta, com calma, mas lamentavelmente vários jogadores chamaram o Felipe Melo de macaco, novamente", disse o profissional ligado ao jogador, que também ressaltou a tentativa de agressão sofrida pelo seu cliente.

Não seria a primeira vez que Felipe Melo reclama de racismo. Há duas semanas, quando Palmeiras e Peñarol se enfrentaram no Allianz Parque, o volante saiu dizendo que um dos rivais tinha o chamado de "macaco" durante a partida. O jogador avisou, no entanto, que a agressão ficaria limitada ao gramado e que não tomaria nenhuma atitude sobre o assunto, até porque teria ouvido um pedido de desculpas em campo.

Durante a semana, nos dias que antecederam a vitória palmeirense por 3 a 2 em Montevidéu, Felipe Melo foi alvo de ofensas por intermédio das redes sociais. Até familiares do atleta se mobilizaram para denunciar os agressores.

Na última quarta, a disputa foi além da agressão verbal. Felipe Melo foi cercado por jogadores do Peñarol assim que soou o apito final. Pressionado, ele tentou de desvencilhar do grupo e saiu em disparada pelo gramado, sendo perseguido pelos rivais. No meio da confusão, ele revidou e acertou um soco em Matias Mier, dando início à parte mais tensa e violenta do confronto, que só terminaria nos vestiários.

Pelas imagens da TV, não foi possível saber o que fez os uruguaios cercarem Felipe Melo após a partida. No início do ano, o volante ganhou as manchetes ao dizer, logo em sua apresentação, que estava disposto a "dar tapa na cara de uruguaio". Embora tenha se retratado pela declaração, o episódio foi lembrado como um possível estopim para a reação.

Felipe Melo deixou o estádio sem falar com a imprensa. Em tom uníssono, todos seus colegas e superiores que foram ao microfone ressaltaram que o volante não provocou o Peñarol e apenas reagiu quando foi perseguido. 

Felipe Melo é abraçado por companheiros após vitória e briga no Uruguai

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos