Por pressão interna, Coritiba desiste de alugar estádio ao Atlético-PR

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Gustavo Oliveira/Site Oficial CAP

    Torcida do Atlético-PR em jogo no Couto Pereira, estádio do Coritiba

    Torcida do Atlético-PR em jogo no Couto Pereira, estádio do Coritiba

A pressão por ceder o estádio para o rival fez o G5, colegiado que preside o Coritiba, desistir de emprestar o Couto Pereira para o Atlético-PR mandar seu jogo contra o Santos, pela Copa Libertadores da América, no local. Ao descumprir acordo vigente desde 2015, o clube alviverde deve deixar de ganhar cerca de R$ 300 mil.

Desde 2015, Coritiba e Atlético-PR têm acordo recíproco de cessão de estádios que inclui também Palmeiras, Santos e Bahia. A iniciativa beneficiaria os dois, já que o clube alvinegro alugou a Arena da Baixada para a Federação Internacional de Vôlei de 4 a 8 de julho e precisa de um lugar para mandar a partida contra o alvinegro paulista, marcada para dia 5 de julho.

O Coritiba, por sua vez, pretendia alugar a Arena para mandar o jogo contra o Sport, dia 10, pelo Campeonato Brasileiro, para poder reformar o gramado do Couto Pereira.

A notícia de que o alviverde paranaense cederia o estádio ao rival para um jogo decisivo revoltou a torcida, que passou a pressionar o G5. As críticas e piadas direcionadas ao colegiado fizeram com que o Coritiba voltasse atrás no acordo para emprestar o Couto Pereira.

O Atlético, que tinha até as 18h desta sexta para definir o estádio, indicou o Couto Pereira à Conmebol com base em um contrato entre os clubes, firmado em 2015.

Ao deixar de ceder o Couto Pereira, o Coritiba deve deixar de arrecadar R$ 300 mil pela cessão do estádio. O valor é o mesmo que o clube ganhará com o show do Maroon 5, marcado para dia 14/9 no local.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos