B. Henrique apoia cobranças e pede maturidade ao Palmeiras na Libertadores

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Daniel Vorley/AGIF

    Bruno Henrique quer foco no Brasileiro e na Copa Libertadores

    Bruno Henrique quer foco no Brasileiro e na Copa Libertadores

Bruno Henrique testemunhou das cadeiras do Mineirão a eliminação do Palmeiras na Copa do Brasil. Um dia depois do empate por 1 a 1 com o Cruzeiro, que avançou à semifinal do torneio, o meio-campista tratou de amenizar a pressão sobre o elenco, que terá uma nova decisão no dia 9, contra o Barcelona, do Equador, pelas oitavas de final da Copa Libertadores, e respondeu sobre o protesto do conselheiro Carlos Degon após a queda em Minas Gerais.

Em entrevista concedida na Academia de Futebol, o camisa 19, ausência na Copa do Brasil por chegar ao Palmeiras após o fim do período de inscrições, pediu racionalidade nas cobranças por parte dos torcedores. Bruno Henrique fez referência ao vídeo em que o conselheiro Carlos Degon cobrou Felipe Melo no hotel em Belo Horizonte.

"Cobrança, desde que não haja agressão física essas coisas, nós somos profissionais e temos que saber receber da melhor maneira possível de uma forma que não nos atrapalhe. Nosso grupo está fechado, sabemos que vinham as críticas e coisas negativas com a eliminação", afirmou Bruno Henrique.

"Conversamos, temos que nos fechar porque temos duas competições importantíssimas pela frente. Estamos bem chateados pela eliminação de ontem, mas essas cobranças temos que ter maturidade para absorver da melhor maneira possível. Única coisa é trabalhar e sábado dar uma resposta", acrescentou.

O volante também aproveitou para amenizar a pressão sobre a partida contra o Barcelona. O Palmeiras precisa de uma vitória por dois gols de diferença para superar os equatorianos e se manter vivo na disputa pelo título da Copa Libertadores, principal objetivo no ano.

"É uma coisa normal. Todo clube almeja vencer a Libertadores, o Brasileiro. É um objetivo sim que temos também de chegar no Brasileiro, e na Libertadores. Temos aí praticamente uns dez dias para poder trabalhar para o jogo da Libertadores, mas primeiramente pensando no Brasileiro", sentenciou

"É ruim, como toda desclassificação e um campeonato ela é. Time estava muito bem, infelizmente tomou o gol no finalzinho e ocorreu a desclassificação. Agora é trabalhar e levantar a cabeça porque tem muita coisa pela frente", afirmou Bruno Henrique, na tentativa de expor um discurso otimista após a queda na Copa do Brasil.

"A tensão é normal, sempre vai ter muita pressão, sempre vai existir. Saímos fora da Copa do Brasil e nosso foco total está para o jogo de sábado, para poder trabalhar e vencer dentro de casa. A Libertadores está aí, e vamos nos preparar porque é um grande campeonato que tem pela frente", concluiu o meio-campista palmeirense.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos