Micale reconhece problemas, mas evita falar em "terra arrasada" após queda

Enrico Bruno e Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • REUTERS/Cristiane Mattos

    Treinador não negou momento bastante delicado do Atlético na atual temporada

    Treinador não negou momento bastante delicado do Atlético na atual temporada

O técnico Rogério Micale foi sincero ao tratar da eliminação do Atlético-MG na Copa Libertadores, depois de sair do Mineirão com o empate sem gols diante do Jorge Wilstermann, pelas oitavas de final da competição. Em seu primeiro comentário durante a entrevista coletiva após o jogo, o comandante falou sobre a crise vivida pelo time mineiro, os problemas com a falta de gols e de bons resultados que resultaram em mais uma queda do time na temporada. Apesar disso, o técnico falou que não é o momento para "terra arrasada" no clube. Assista aos melhores momentos da eliminação do Galo.

"Vou ser bem honesto, acho que fizemos uma partida onde não conseguimos o gol, mas dominamos o adversário. São circunstâncias que têm acontecido com o time pelo momento que vivemos, mas acho que temos que nos reestruturar o mais rápido possível. O time se acostumou a ganhar muito, mas todo clube pode viver um momento como esse, não pode haver terra arrasada. Precisamos nos unir para o Atlético se reerguer. O momento é delicado, não tem como mentir, só nós podemos sair dessa situação. Temos que reavaliar, se fechar mais, os jogadores são esses. É um momento que o clube vive, temos que saber passar por ele", comentou o treinador.

Micale assumiu o Atlético há duas semanas e já encarou duas dolorosas eliminações. Além de três derrotas, um empate e apenas uma derrota, o treinador esteve à frente da equipe nas quedas para o Botafogo, pela Copa do Brasil, e para o Jorge Wilstermann, agora pela Libertadores. Sem chances de título no Brasileirão, o técnico terá como desafio tirar o time da posição perigosa na tabela e terminar o ano sem sustos e ameaça de rebaixamento.

"Temos que olhar friamente, nosso momento emocional é forte e não estamos acostumados a passar por isso. No momento, temos que avaliar se houve criação, se tivemos chances de fazer gol. Infelizmente a bola não está entrando. Tivemos bola na trave, tivemos um lance mal anulado. Estamos vivendo isso. Contra o Corinthians, também não fizemos o gol. É uma fase, temos que saber lidar com ela. Estamos tristes, pela história do clube, mas todo clube passa por essa oscilação. Mas não podemos é achar que nada presta. Precisamos do apoio e necessitamos dar uma resposta", completou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos