Palmeiras despacha Colo-Colo com show de Dudu e volta à semi após 17 anos

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

  • REUTERS/Paulo Whitaker

    Dudu comemora o golaço que abriu o placar para o Palmeiras no Allianz Parque

    Dudu comemora o golaço que abriu o placar para o Palmeiras no Allianz Parque

O Palmeiras não deu margem para o azar, teve uma atuação dominante e confirmou sem grandes sustos seu retorno à semifinal da Copa Libertadores nesta quarta-feira (3), com uma vitória por 2 a 0 sobre o Colo-Colo no Allianz Parque. Com uma vantagem de dois gols já conquistada na partida de ida no Chile, a equipe alviverde não se acomodou e ganhou com autoridade, comandada por Dudu, que fez um golaço para abrir o placar e sofreu o pênalti que Borja converteu para ampliar. Clique aqui e veja os melhores momentos.

O resultado devolve o Palmeiras à semifinal da principal competição de clubes da América do Sul depois de 17 anos. A última vez em que o alviverde chegou a essa fase da Libertadores foi em 2001, quando acabou eliminado pelo Boca Juniors.

Concentrado desde o início, aplicado na marcação e criando chances na frente, o Palmeiras fez uma de suas melhores partidas sob o comando de Luiz Felipe Scolari. O Colo-Colo, que no jogo de ida havia assustado em várias ocasiões, desta vez mal conseguiu incomodar Weverton e pareceu entregue já no início do segundo tempo, quando Borja fez o segundo gol e aumentou o placar agregado para 4 a 0.

Na semifinal, o Palmeiras enfrentará Boca Juniors ou Cruzeiro, que definem quem se classifica nesta quinta-feira (4), no Mineirão. Na partida de ida, na Bombonera, os argentinos venceram por 2 a 0. Do outro lado da chave, a semifinal será entre Grêmio e River Plate.

O melhor: Dudu

REUTERS/Paulo Whitaker

Felipão escalou Dudu de uma forma diferente e foi recompensado com um golaço. O camisa 7, que normalmente joga aberto pelas pontas, atuou centralizado atrás de Willian e Borja, com liberdade para se movimentar e receber a bola por todo o campo. Até que, aos 36 minutos do primeiro tempo, ficou com ela pelo meio, arrancou, pedalou, deixou a marcação para trás e acertou uma bomba de esquerda, sem chances para Orión. Um golaço para abrir o placar para o Palmeiras. No segundo tempo, ainda sofreu o pênalti que gerou o gol de Borja. Não à toa, foi ovacionado pela torcida quando foi substituído por Hyoran.

O pior: Barrios

O centroavante, que havia dado trabalho no jogo de ida no Chile, desta vez mal conseguiu participar do jogo. Isolado na frente, praticamente não recebeu bolas em boas condições e passou a partida toda brigando pelo alto com Antônio Carlos, normalmente levando desvantagem. Ganhou a companhia de Morales no ataque no segundo tempo, mas o Palmeiras controlou bem os ataques do Colo-Colo e quase não levou sustos.

Felipão muda e Palmeiras domina

Ale Cabral/AGIF

O técnico palmeirense surpreendeu com uma alteração tática na equipe. Em vez do 4-2-3-1 habitual, montou o time com um losango no meio-campo: Thiago Santos como primeiro volante, vigiando Valdivia de perto; Moisés e Bruno Henrique mais à frente, um de cada lado, alternando marcação e subidas ao ataque; e Dudu solto como "camisa 10", atrás dos atacantes Willian e Borja. O Palmeiras dominou completamente a primeira etapa e criou as melhores chances. Weverton só precisou trabalhar uma vez.

Valdivia tem atuação apagada

Ale Cabral/AGIF

Principal jogador do Colo-Colo, o meia Valdivia não conseguiu influenciar muito a partida. Muito adiantado, praticamente como um segundo atacante, ele pegou pouco na bola e não teve muitas opções de passe para frente. Normalmente, apenas Lucas Barrios estava mais avançado que o camisa 10, que não tinha alternativa senão tocar para trás. No segundo tempo, com a entrada do atacante Morales, Valdivia voltou a jogar mais recuado e melhorou, mas ainda assim pouco conseguiu fazer. Pelo menos foi aplaudido pela torcida palmeirense no Allianz.

Dudu desequilibra em dois lances

Em sua nova posição, Dudu esteve em uma noite endiabrada e desequilibrou a partida com duas jogadas individuais. No fim do primeiro tempo, uma linda arrancada pelo meio terminou com um chute indefensável para abrir o marcador. E no início da segunda etapa, o camisa 7 pedalou para cima da marcação na área e foi puxado. Borja foi para a cobrança do pênalti e ampliou para o Palmeiras, deixando a vantagem ainda mais confortável, com 4 a 0 no placar agregado.

Borja quebra jejum e vira artilheiro da Libertadores

Ale Cabral/AGIF

O colombiano estava há cinco jogos sem balançar as redes e seu último gol havia sido há um mês, na vitória por 2 a 1 sobre a Chapecoense no Campeonato Brasileiro. Desta vez, Borja aproveitou o pênalti sofrido por Dudu para fazer o segundo gol do Palmeiras com um chute forte no alto e, de quebra, virar artilheiro da Libertadores. Ele agora tem nove gols, mesmo número de Wilson Morelo, do Independiente Santa Fe, que já está eliminado.

FICHA TÉCNICA

Palmeiras 2 x 0 Colo-Colo

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data: 03/10/2018
Horário: 21h45 (de Brasília)
Público: 37.950 pagantes
Renda: R$ 3.724.211,46
Árbitro: Wilmar Roldán (Colômbia)
Assistentes: Alexander Guzmán e Cristian de la Cruz (Colômbia)

Gols: Dudu, aos 36 minutos do primeiro tempo, e Borja, aos 7 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Zaldivia (Colo-Colo)

Palmeiras: Weverton; Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luís; Bruno Henrique, Thiago Santos e Moisés; Dudu (Hyoran); Willian (Jean) e Borja (Deyverson). Técnico: Luiz Felipe Scolari

Colo-Colo: Orión; Zaldivia, Barroso (Morales) e Insaurralde; Opazo, Baeza (Campos), Carmona (Pinares), Pavez e Suazo; Valdivia e Barrios. Técnico: Héctor Tapia

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos