Benedetto decide de novo, Palmeiras só empata com Boca e é eliminado

Do UOL, em São Paulo

  • REUTERS/Paulo Whitaker

    Benedetto (à esq.) novamente saiu do banco para balançar a rede contra o Palmeiras

    Benedetto (à esq.) novamente saiu do banco para balançar a rede contra o Palmeiras

O Palmeiras não conseguiu cumprir a difícil missão de reverter os 2 a 0 sofridos para o Boca Juniors no jogo de ida da semifinal da Libertadores, na Bombonera, e está eliminado do torneio continental. Nesta quarta-feira (31), em um Allianz Parque lotado, o time de Felipão não passou de um empate por 2 a 2 e viu brilhar novamente a estrela de Benedetto, atacante argentino que, assim como na semana passada, saiu do banco para decidir. Foi dele o segundo gol do Boca, que sepultou de vez as chances alviverdes.

Assista aos gols e aos melhores momentos de Palmeiras 2 x 2 Boca Juniors 

O Palmeiras teve mais a bola e tentou pressionar o Boca, mas não foi o suficiente. Ábila abriu o placar para os visitantes contando com vacilos de Luan e Felipe Melo, minutos depois de o Palmeiras ter tido um gol anulado corretamente por impedimento com o auxílio do VAR. Já no segundo tempo, gols de Luan e Gustavo Gómez deram esperança à torcida, mas Benedetto acertou mais um chute indefensável aos 25 minutos para encerrar o sonho do time da casa.

Classificado, o Boca fará na decisão um superclássico com o arquirrival River Plate, que eliminou o Grêmio na outra semifinal. O primeiro jogo acontece no dia 7 de novembro, na Bombonera, enquanto a finalíssima está marcada para o dia 28, no Monumental de Núñez, mas pode ser antecipada para o dia 21 por conta do encontro da cúpula do G20 que acontecerá em Buenos Aires a partir do dia 30.

Já ao Palmeiras, agora, resta apenas o Campeonato Brasileiro. O Verdão é o líder da competição e volta a campo no sábado (3), em clássico contra o Santos, novamente no Allianz Parque.

O melhor: Benedetto

Andre Penner/AP

Que estrela! De novo, o atacante saiu do banco para decidir. Substituindo Ábila no segundo tempo, ele precisou novamente de poucos minutos para balançar a rede. A finalização até lembrou o segundo gol marcado na Bombonera: ele recebeu na entrada da área, contou com vacilo de Felipe Melo na marcação e chutou forte, cruzado, sem chance de defesa para Weverton.

O pior: Felipe Melo

REUTERS/Paulo Whitaker

O volante palmeirense vacilou nos dois gols do Boca. No primeiro, não se posicionou corretamente na linha defensiva e não conseguiu cortar o cruzamento rasteiro para Ábila, que também contou com vacilo de Luan para finalizar livre na pequena área. Já no segundo, errou o tempo do bote em cima de Benedetto e deixou o atacante com liberdade total para ajeitar e chutar forte da entrada da área. Pelo menos deu a assistência de cabeça para o gol de Luan.

Felipão faz mudanças e Palmeiras começa embalado

NELSON ALMEIDA / AFP

O técnico Luiz Felipe Scolari fez duas mudanças que já eram esperadas na equipe titular: Lucas Lima e Deyverson ganharam vagas na equipe, nos lugares de Moisés e Borja. Embalado por um Allianz Parque lotado, que fez muita festa e ainda contou com milhares de torcedores do lado de fora, o time alviverde começou em cima do Boca, buscando a ligação direta para Deyverson e marcando no campo de ataque. Os argentinos, por sua vez, tentavam acelerar no contragolpe buscando Villa e Pavón pelas pontas, mas sem incomodar.

Bruno Henrique balança a rede, mas VAR anula o gol

Reprodução/SporTV

O Allianz explodiu aos 9 minutos, quando Bruno Henrique completou uma bela jogada e estufou a rede do Boca: Lucas Lima deu ótimo lançamento para Deyverson, que dominou e acionou Dudu. O camisa 7 cruzou rasteiro e Bruno Henrique apareceu para completar para o gol. Após alguns segundos de comemoração, porém, o árbitro Wilmar Roldán foi avisado pelo VAR de que Deyverson estava impedido na origem da jogada e anulou o lance. A comemoração alviverde rapidamente se transformou em frustração.

Ábila aproveita vacilo da zaga e complica o Palmeiras

REUTERS/Paulo Whitaker

Apenas quatro minutos do gol anulado, veio um balde de água fria ainda maior: gol do Boca. Villa recebeu lançamento nas costas de Diogo Barbosa, encarou a marcação de Gustavo Gómez e cruzou rasteiro; Felipe Melo não conseguiu cortar, Luan cochilou e deixou Ábila totalmente livre para desviar de primeira na pequena área. O gol complicou de vez a missão do Palmeiras, que passou a precisar de quatro gols para avançar à final.

Afobado, Palmeiras tenta pressionar no primeiro tempo

AP Photo/Andre Penner

Em busca de um gol ainda no primeiro tempo para continuar a sonhar com a vaga, o Palmeiras se lançou para o ataque e tentou pressionar o Boca, mas muitas vezes esbarrou na afobação. Os jogadores se precipitavam ao tentar definir as jogadas e acabavam desperdiçando lances promissores. A melhor chance foi uma cabeçada firme de Gómez após cobrança de escanteio, que Rossi defendeu bem. Mayke e Bruno Henrique também tiveram oportunidades, mas erraram na pontaria e chutaram para fora, para desespero da torcida.

Palmeirenses pedem pênalti, mas arbitragem nega

Nos acréscimos do primeiro tempo, os jogadores do Palmeiras ficaram reclamando de pênalti em uma bola que bateu no braço de Pablo Pérez dentro da área. Mas Wilmar Roldán considerou que o meio-campista argentino estava com o braço colado ao corpo e mandou o jogo seguir.

Palmeiras faz dois gols em 15 minutos no segundo tempo

NELSON ALMEIDA / AFP

Se o Palmeiras não conseguiu o gol no início como desejava, a rede balançou duas vezes logo nos primeiros minutos da segunda etapa. Aos 7, após bola levantada na área, a jogada sobrou para Luan, livre, fuzilar para as redes de perna direita e se redimir do vacilo no gol do Boca. O zagueiro, ostentando a faixa de capitão após a troca de Bruno Henrique por Moisés no intervalo, imediatamente pegou a bola e correu para o meio-campo, animando os companheiros. Pouco depois, aos 15, foi a vez de Gustavo Gómez fazer o segundo, de pênalti, após Dudu ser derrubado na área por Izquierdoz.

Benedetto brilha de novo e decide classificação do Boca

Paulo Whitaker/Reuters

Quando o Palmeiras seguia pressionando em busca do terceiro gol, entrou Benedetto no lugar de Ábila. E não demorou para o carrasco da Bombonera deixar sua marca de novo. O atacante recebeu com muita liberdade na entrada da área após um erro de Felipe Melo no tempo do bote. Teve tempo de ajeitar a bola, olhar para o gol e acertar um tiro forte, cruzado, sem chance para Weverton. Terceiro gol de Benedetto em dois jogos, fazendo o Palmeiras voltar a precisar de três gols para se classificar.

FICHA TÉCNICA

Palmeiras 2 x 2 Boca Juniors

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data: 31/10/2018
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Wilmar Roldán (Colômbia)
Assistentes: Alexander Guzmán e John Alexander León (Colômbia)

Gols: Ábila, aos 17 minutos do primeiro tempo; Luan, aos 7, Gustavo Gómez, aos 15, e Benedetto, aos 25 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Felipe Melo, Luan, Gustavo Gómez e Deyverson (Palmeiras); Ábila e Pérez (Boca Juniors)

Palmeiras: Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Bruno Henrique (Moisés) e Felipe Melo (Gustavo Scarpa); Willian (Borja), Lucas Lima e Dudu; Deyverson. Técnico: Luiz Felipe Scolari

Boca Juniors: Rossi; Jara, Izquierdoz, Magallán e Olaza; Barrios, Nández e Pérez (Gago); Villa, Ábila (Benedetto) e Pavón (Zárate). Técnico: Gustavo Schelotto

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos