Na Inglaterra, Neymar desafia maiores perseguidores e ainda busca o 1° gol

Caio Carrieri e João Henrique Marques

Do UOL, em Liverpool e Paris

  • Paul ELLIS / AFP

A fama de cai-cai é assunto na Inglaterra a cada aparição de Neymar. Em solo britânico, o brasileiro se acostumou com vaias desde o início da carreira, e a perseguição já teve até direito a discussão com um torcedor. No duelo desta terça-feira entre Liverpool x PSG, no estádio de Anfield, pela Liga dos Campeões, o camisa 10, ainda em busca do primeiro gol por um clube em solo inglês, volta a desafiar seus principais críticos.

O "cartão de visitas" da relação foi em 2011, quando ele tinha 19 anos e atuava pelo Santos. Em ação pela seleção brasileira em uma vitória por 2 a 0 contra a Escócia, em um amistoso, ele foi vaiado no Emirates Stadium, em Londres, mesmo após marcar os dois gols do jogo. O público presente avaliou que o brasileiro se jogou para cavar um pênalti, além de ter simulado dor em outras ações faltosas. Em 2015, em um outro episódio tenso, o então atacante do Barcelona chegou a bater boca com um torcedor na arquibancada por ele ter o chamado de "mergulhador".

Por conta do histórico, e da realidade com o excesso de críticas a Neymar na Inglaterra durante a Copa do Mundo, o brasileiro tem noite de perseguição esperada no duelo contra o Liverpool.   

"Jogar-se, principalmente na Inglaterra, é totalmente reprovável. Os torcedores ingleses simplesmente odeiam isso. Na Inglaterra você pode dar um carrinho com os dois pés. Isso pode incomodar alguns, mas outros vão comemorar, porque verão como entusiasmo. Por outro lado, quando há qualquer sinal de trapaça, como se jogar, isso enfurece o público. Penso que os torcedores em Anfield vão procurar qualquer chance para dizer que o Neymar se jogou, porque isso se tornou um grande problema para ele", comentou o jornalista inglês Matt Law, repórter do The Daily Telegraph.

"Neymar vai ter uma noite muito difícil porque ele ganhou fama na Inglaterra por simular, se jogar e tirar o maior proveito de qualquer contato. Na Inglaterra, existe a cultura de que se jogar é a pior coisa que um jogador pode fazer. É visto como trapaça e covardia. Os torcedores estarão prontos para o Neymar. Toda vez que ele sofrer uma falta, o que acontece com muita frequência, vão pegar no pé dele. O desafio, então, será ele não reagir e fazer o jogo dele. Sabemos que às vezes ele cai facilmente, provavelmente pela maneira com que ele joga. Imagino que a reação que ele vai receber será muito hostil", concordou Barney Ronay, colunista do The Guardian.

Aparentemente, o Liverpool vai na contramão dos jornalistas ingleses. Na véspera do confronto, as críticas a Neymar por supostas simulações de dores na Copa do Mundo foram avaliadas pelo treinador do time, Jurgen Klopp, como exageradas. O brasileiro também carrega extremo respeito entre os jogadores adversários.

"Isso é para os fãs. Só sei que ele é um dos grandes jogadores do mundo e precisamos ter cuidado. A habilidade dele fala por si", destacou o lateral esquerdo do Liverpool, Robertson. "Sim, as pessoas dizem que ele cai facilmente, mas isso não depende de nós. Depende do árbitro. Vamos ficar longe disse. Temos que nos concentrar nas qualidades. Infelizmente, para nós, ele tem muitas", complementou.

Neymar tem quatro jogos disputados na Inglaterra pela Liga dos Campeões, todos pelo Barcelona. Mesmo sem gol marcado, o retrospecto é favorável com três vitórias (duas contra o Manchester City, 2x0 em 2014, e 2 a 1, em 2015 e uma contra o Arsenal, 2 a 0, em 2016) e uma derrota (3 a 1 para o Manchester City, em 2016).

A hipocrisia inglesa

Caracterizados como perseguidores de Neymar, a Inglaterra viu a própria seleção na Copa do Mundo passar por situações semelhantes de simulação. As principais delas aconteceram na vitória nos pênaltis diante da Colômbia, nas oitavas de final – duelo terminou empatado por 1 a 1.

Foram pelo menos quatro lances em todo o decorrer da partida. O primeiro foi o volante Henderson, que recebeu uma cabeçada de Barrios no peito e caiu com as mãos no rosto. Depois o zagueiro Maguire mergulhou na área em um lance no qual nem foi tocado. Antes do fim ainda houve tempo de Ashley Young voltar correndo para o jogo segundos após se contorcer em campo. Lingard protagonizou o último ato simulando um carrinho que não existiu dentro da área.

"Acho que temos um pouco de hipocrisia, para ser sincero. Não podemos dizer que nossos jogadores não caem também. Rolar no campo e exagerar em relação é algo que não vemos, mas mudamos um pouco em relação o que acontece há 20, 30 anos. Hoje, se os jogadores ingleses sentem o contato, geralmente eles caem. Por isso, não posso reclamar muito (do Neymar), porque senão haveria dois pesos diferentes. Luis Suárez, que ironicamente era um jogador do Liverpool, fazia a mesma coisa. Então, se os torcedores do Liverpool perseguirem Neymar, será hipócrita, porque Steven Gerrard se jogava. Talvez com Neymar seja algo mais divulgado porque aconteceu na Copa do Mundo, onde as pessoas esperam que o melhor aconteça. Como faz poucos meses desde o Mundial, talvez o Neymar tenha de trabalhar esse lado", destacou Daniel Taylor, repórter e colunista do The Guardian.

UOL Cursos Online

Todos os cursos