Substituto de Messi, Rafinha marca em vitória do Barcelona sobre a Inter

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • REUTERS/Albert Gea

    Rafinha comemora com Philippe Coutinho o gol do Barcelona diante da Inter

    Rafinha comemora com Philippe Coutinho o gol do Barcelona diante da Inter

Escolhido para substituir Lionel Messi, fora de ação por conta de uma fratura no braço direito, o meia brasileiro Rafinha retribuiu o voto de confiança do treinador Ernesto Valverde e abriu o placar para o Barcelona na vitória por 2 a 0 sobre a Inter de Milão, nesta quarta-feira (24), no Camp Nou, pela terceira rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões. O lateral Jordi Alba marcou o segundo.

Desfalque da equipe espanhola por até três semanas, o atacante argentino assistiu ao jogo da tribuna do estádio e foi bastante assediado por torcedores que estavam sentados próximos antes de a bola rolar.

O triunfo encaminhou a classificação do Barça às oitavas de final da Champions. O time chegou a nove pontos em três rodadas, mantendo 100% de aproveitamento e a liderança do Grupo B. A Inter tem seis, enquanto PSV e Tottenham, que empataram por 2 a 2 nesta quarta, na Holanda, somam um ponto cada.

Após o confronto pela Champions, as duas equipes terão clássicos como próximos compromissos. Neste domingo (28), no Camp Nou, o Barcelona enfrentará o rival Real Madrid para defender a liderança do Campeonato Espanhol, enquanto a Inter irá encarar a Lazio, na próxima segunda-feira (29), no Estádio Olímpico de Roma, pelo Campeonato Italiano. A equipe de Milão ocupa o terceiro lugar, com 19 pontos.

Messi no Camp Nou, mas apenas na torcida

David Ramos/Getty Images

O duelo com a Inter foi o primeiro dos seis jogos previstos pelo Barcelona sem Lionel Messi, que sofreu uma fratura no braço direito no primeiro tempo da vitória por 4 a 2 sobre o Sevilla, no último sábado. O argentino esteve no Camp Nou e assistiu à partida na tribuna do estádio ao lado do filho mais velho, Thiago, de 5 anos. O craque estava com o braço lesionado apoiado em uma tipoia.

Substituto de Messi, Rafinha mostra estrela e "decreta" lei do ex

Escolhido pelo técnico Ernesto Valverde para ocupar a vaga de Messi, o meia Rafinha foi a surpresa na escalação do Barcelona contra a Inter. Até a partida desta quarta, ele havia disputado quatro partidas nesta temporada, com apenas sete minutos em campo pela Liga dos Campeões.

Um dos mais acionados no primeiro tempo, o brasileiro mostrou entrosamento com Luis Suárez, com quem fez troca constante de posicionamento. Desta forma, o uruguaio cruzou na medida para Rafinha marcar para o Barcelona, aos 31 minutos, aplicando a "lei do ex" no Camp Nou - ele jogou parte da temporada passada por empréstimo pelo clube de Milão.

O melhor: Luis Suárez

REUTERS/Albert Gea

O atacante uruguaio assumiu a responsabilidade de ser a referência do Barcelona na ausência de Messi. Com muita entrega em campo, Suárez buscou jogo, abriu espaço para a infiltração dos meias, arriscou jogadas individuais e deu muito trabalho ao zagueiro brasileiro Miranda quando se posicionou como centroavante - além de ter dado a assistência para Rafinha marcar. Só faltou marcar o dele.

O pior: Asamoah

Saiu-se bem na partida quem arriscou jogadas ofensivas pelo setor do lateral-esquerdo da Inter de Milão, fraquíssimo na marcação. Aos 13 minutos do segundo tempo, Luis Suárez quase marcou um golaço depois de entortar Asamoah na entrada da área. Handanovic salvou.

Coutinho fica devendo em dia de trio titular brasileiro

Valverde escalou o Barcelona com três brasileiros entre os titulares. Arthur fez bom primeiro tempo, mostrou categoria na articulação de contra-ataques, mas na etapa final errou duas saídas de bola em sequência na defesa, colocando a equipe em risco. Ainda assim, ganhou aplausos da torcida quando foi substituído por Arturo Vidal. 

Já Rafinha se saiu bem na árdua missão de substituir Messi, contribuindo com outras características táticas, além do gol. Candidato a protagonista do Barça na ausência de seu camisa 10, Philippe Coutinho ficou devendo, em dia pouco inspirado na armação de jogadas, embora quase tenha ampliado o placar no fim do primeiro tempo, em cobrança de falta que desviou no zagueiro Miranda e quase traiu o goleiro Handanovic.

Criticada, defesa do Barça segura o ímpeto de gol de Icardi

David Ramos/Getty Images

Criticada por torcedores e imprensa espanhola nas últimas semanas, a defesa do Barcelona anda mais desguarnecida em relação a temporadas anteriores. Foram dez gols sofridos nas últimas seis partidas. Mas, diante de um dos centroavantes mais letais do futebol europeu, o argentino Mauro Icardi, a zaga formada por Piqué e Lenglet teve atuação quase impecável e saiu do Camp Nou sem ser vazada.

É verdade que a Inter assustou pouco. A melhor oportunidade apareceu no segundo tempo, com Politano, em cruzamento que quase foi direto para o gol, mas Ter Stegen salvou. Com o controle do jogo, o Barça ampliou com o lateral-esquerdo Jordi Alba, aos 37 minutos do segundo tempo, em chute cruzado e indefensável.

FICHA TÉCNICA:
BARCELONA 2 X 0 INTER  DE MILÃO

Local: Camp Nou, em Barcelona (Espanha)
Data/Hora: 24 de outubro de 2018, às 16h (de Brasília)
Árbitro: Ovidiu Hategan (Romênia)
Assistentes: Octavian Sovre e Sebastian Gheorghe (ambos da Romênia)
Cartões amarelos: Suárez (Barcelona); Brozovic, Lautaro Martínez (Inter)
Gols: Rafinha, aos 31 minutos do primeiro tempo; Jordi Alba, aos 37 do segundo tempo.

BARCELONA: Ter Stegen; Sergi Roberto, Piqué, Lenglet e Jordi Alba; Busquets, Arthur (Vidal) e Rakitic; Rafinha (Semedo), Philippe Coutinho (Munir) e Luis Suárez.
Técnico: Ernesto Valverde.

INTER DE MILÃOHandanovic; D'Ambrosio, Skriniar, Miranda e Asamoah; Brozovic, Vecino, Candreva (Politano), Borja Valero (Lautaro Martínez) e Perisic (Keita); Icardi.
Técnico: Luciano Spaletti.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos