Topo

Paranaense - 2019


Atletiba 378 irá opor rivais após título internacional e polêmica no TJD

Reprodução
Atletiba "do YouTube", em 2017: à época, diretorias estavam atuando em paralelo Imagem: Reprodução

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

2019-01-30T08:00:00

2019-01-30T17:19:17

30/01/2019 08h00Atualizada em 30/01/2019 17h19

Há um abismo entre Athletico Paranaense e Coritiba, criado a partir da conquista da Copa Sul-Americana de 2018? Para responder essa pergunta são necessários vários elementos. Um deles, o mais objetivo, será colocado em teste nesta quarta-feira (30), às 21h30 na Arena da Baixada, na primeira partida após o título internacional do Furacão. Um jogo que começa cercado por um acirramento de ânimos nos bastidores, com a realização garantida apenas na tarde desta quarta após decisão do Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR)..

Isto porque o Coritiba exigiu sua carga de ingressos prevista em regulamento, com direito a local determinado e separado para os seus torcedores, e recebeu desdém do Athletico, que até o meio da tarde da terça-feira (29) não havia cumprido a determinação do TJD-PR de colocar os ingressos à venda para a torcida do Coxa em cinco locais diferentes, mais internet, e designar um local aos coxas-brancas na Arena da Baixada. 

O Coritiba então pediu WO e interdição da Arena da Baixada ao TJD, que também recebeu da procuradoria do órgão um pedido para que o jogo seja realizado de portões fechados. A presidência do TJD deu até às 21h de terça para que o Athletico se manifestasse, o que não ocorreu. Então, o presidente Adelson Batista consultou a FPF para avaliar consequências técnicas das decisões e irá definir sobre os pedidos apenas na tarde de quarta-feira, horas antes do jogo. Apesar de não suspender o jogo ou determinar portões fechados, o TJD irá julgar o Athletico no dia 7 de fevereiro. O clube pode ser punido com multas de até R$ 100 mil por desobedecer duas determinações similares emitidas pelo TJD local.

E é exatamente o dinheiro que marca a diferença entre os clubes para a temporada. Com um calendário recheado com Libertadores, Recopa, Copa Suruga, Copa do Brasil e Brasileirão, o Athletico trabalha com uma estimativa mínima de orçamento acima dos R$ 100 milhões para a temporada - o clube não abre suas finanças ao público; o valor é uma projeção com base nos contratos. Já Coritiba, que terá a Série B e a Copa do Brasil como principais competições, lida com uma realidade mais modesta, algo em torno dos R$ 15 a 20 milhões para o futebol nesta temporada (a folha tem como padrão o custo de R$ 1 milhão por mês).

Ambos tem algo em comum neste Campeonato Paranaense, mas por razões diferentes. Enquanto o Furacão mantém a política de lançar mão de uma equipe inteira alternativa, recheada de jovens da base do clube, o Coxa também usa jovens na equipe, mas como necessidade na montagem do elenco, dada a dificuldade em contratar novas peças. 

"O objetivo desta equipe, além do Campeonato Paranaense, é ser uma equipe de onde venham os reforços para o time principal no meio do ano", detalhou o técnico atleticano Rafael Guanaes; "Acabou o jogo com o ataque da base: Paixão, Jesus, Nathan e Luiz Henrique.Temos que melhorar um pouco essa parte da equipe, buscar um pouco mais de qualidade, de experiência, de maturidade, para que a gente possa ter um resultado melhor na frente", comentou Argel Fucks, treinador do Coritiba, após o 0 a 0 com o Toledo.

Será ainda o primeiro clássico após as mudanças de identidade do Furacão. O primeiro grande teste da nova camisa, algo que se viveu duas vezes num passado recente, sem vitórias atleticanas. Em 1988, quando decidiu mudar a orientação das listras rubro-negras da horizontal para a vertical, o então Atlético estreou a camisa perdendo para o Coritiba no Brasileirão, 1 a 0, no Couto Pereira. Nove anos mais tarde, em fevereiro de 1997, o primeiro clássico do então novo escudo atleticano acabou 2 a 2, com mando do Coritiba, no Paranaense.

Este também poderá ser o único Atletiba de 2019. Em divisões diferentes nacionalmente, Athletico e Coritiba só voltarão a se encontrar no Estadual se forem finalistas de turno ou do campeonato. Na Copa do Brasil, um eventual clássico depende do avanço do Coxa até as oitavas de final e do sorteio que colocará o Athletico em alguma das chaves. A última vez em que isso ocorreu foi em 2006, quando os rivais se encontraram apenas na final da Copa dos 100 anos, vencida pelo Athletico por 4 a 1.

ATHLETICO X CORITIBA

Motivo: 4ª rodada da Taça Barcímio Sicupira - Campeonato Paranaense 2019
Data/Hora: 30/01/2019, às 21h30 (de Brasília)
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Árbitro: Leonardo Sígari Zanon
Auxiliares: Felipe Gustavo Schmidt e Heitor Alex Eurich 

ATHLETICO
Léo; Reginaldo, Éder, Lucas Halter e Nicolas; Erick, Marquinho e Matheus Anjos; João Pedro, Anderson Plata e Bergson. Técnico: Rafael Guanaes.

CORITIBA
Wilson; Sávio, Alan Costa, Alex Alves e Fabiano; João Vitor, Vitor Carvalho e Giovanni (Matheus Bueno); Iago, Nathan e Kady. Técnico: Argel Fucks.