Empresário agencia um time inteiro na final entre Corinthians e Ponte

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução / Instagram

    Fernando Garcia é empresário com influência no mercado dos finalistas

    Fernando Garcia é empresário com influência no mercado dos finalistas

A decisão do Campeonato Paulista terá um protagonista discreto. Na soma de Ponte Preta e Corinthians, que vão a campo neste domingo, em Campinas, a empresa Elenko Sports, do agente Fernando Garcia, representa mais de um time de jogadores. 

De Pottker e Lucca, goleadores e principais destaques da Ponte, a Guilherme Arana e Maycon, principais revelações do Corinthians na atualidade, Garcia estruturou a partir dos finalistas uma parte importante de seu negócio como empresário e investidor. Além dos quatro destaques, ele ainda agencia Walter, Vilson, Léo Arthur e Léo Jabá, no Corinthians, e Naldo, Matheu Jesus e Cassini, do lado da Ponte. 

Ex-conselheiro do Corinthians, do qual se desvinculou para seguir com negócios sem infringir o estatuto do clube, ele se tornou proprietário da Elenko Sports em 2014. Até então, atuava em transferências mais ligadas ao Noroeste, da cidade de Bauru, antes de ganhar espaço no cenário nacional e internacional, com corintianos e ponte-pretanos como dois braços fundamentais. 

Os negócios mais emblemáticos com a atuação do empresário

Gustavo Magnusson/Fotoarena/AE
Negócio com Cléber foi marco zero na relação do empresário com a Ponte Preta

Foi alguns meses antes de criar a Elenko, em um par de negócios justamente entre as duas equipes em 2013, que Garcia se aprofundou no mercado de transferências do Brasil e exterior. Se no Corinthians sua família já tem ligação histórica - o pai, Damião Garcia, era proprietário da ex-patrocinadora Kalunga e conselheiro vitalício -, na Ponte Preta ganhou espaço a partir de duas transferências. 

Diante da dificuldade do Corinthians em fechar a compra de Cléber, zagueiro da Ponte Preta, ele se associou ao empresário Marcus Sanchez, da região de Campinas, e se tornou o principal investidor para a aquisição do reforço, meses depois vendido ao Hamburgo-ALE. O negócio foi investigado pela Fifa, pois não rendeu nada aos cofres corintianos. Cléber hoje defende o Santos. 

Na reta final de 2013, Garcia e Marcus Sanchez viabilizaram mais uma transferência da Ponte para o Corinthians. Então destaque da Copa Sul-Americana, o lateral Uendel foi adquirido graças a um empréstimo feito pelo próprio Fernando ao então presidente Mário Gobbi. Depois de três temporadas no Parque São Jorge, foi recentemente transferido ao Internacional - 100% dos direitos corintianos. Os empréstimos de Fernando ao Corinthians, aliás, são corriqueiros nas gestões de Gobbi e Roberto de Andrade. 

Mais recentemente, Fernando Garcia esteve próximo de viabilizar a terceira transferência importante de Campinas ao Corinthians. O clube pagaria R$ 7 milhões para comprar 60% do goleador Pottker, mas desistiu depois que o centroavante atuou na Copa do Brasil. O empresário, que já havia intermediado as idas de Uendel e Alemão (ex-Botafogo) para o Internacional, também fechou a ida de Pottker ao Beira-Rio. 

Empréstimos para a Ponte ocorreram a contragosto dos treinadores

Marcello Zambrana/AGIF
Lucca divide ataque com Pottker

Se levou Uendel e Cléber para o Corinthians, a Elenko Sports também fez duas transferências no sentido inverso. O volante Maycon, na temporada passada, e o atacante Lucca, em 2017, se juntaram ao Moisés Lucarelli em operações coordenadas por ele. Os dois jogadores alcançaram êxito com a camisa ponte-pretana. 

Em entrevistas recentes, os treinadores nos momentos das transferências disseram que não deram aval para ambos os negócios, o que mostra a força do empresário no mercado dos dois clubes. Cristóvão Borges, em 2016, perdeu Maycon pouco antes do Corinthians fechar as vendas de dois titulares da posição, Bruno Henrique e Elias, para o futebol europeu. Já no início da atual temporada, Fábio Carille declarou que queria a permanência de Lucca, que preferiu ir à Ponte.

Influência nas divisões de base dos dois clubes

Arquivo Pessoal
Malcom e Fernando Garcia

Além de Maycon e Arana, já praticamente realidade no Corinthians, o empresário Fernando Garcia representa jovens como Léo Arthur (voltou do Audax), Léo Jabá e Guilherme Romão (está no Sub-20, mas é cotado para o time adulto). Ele também tem ligação com duas promessas vendidas nos últimos meses em operações em que participou com o recebimento de direitos econômicos: Malcom, para o Bordeaux-FRA, e Matheus Pereira, para o Empoli-ITA.

Recentemente, Garcia foi acusado pelo empresário Will Dantas de assediar o promissor meia-atacante Pedrinho para que se tornasse seu cliente. "Eles disseram para o jogador que ele só jogaria no Corinthians caso se tornasse jogador deles", afirmou ao UOL Esporte. Will e Pedrinho assinaram parceria com o agente Giuliano Bertolucci, sócio de Kia Joorabchian em algumas negociações. 

Ainda com relação a Garcia, segundo apurou a reportagem, o empresário Nick Arcuri cogita ir à Justiça depois de perder a procuração do atacante Léo Jabá para o proprietário da Elenko Sports. Situação semelhante ocorreu com o lateral Romão, campeão da Copa São Paulo e que trabalhava com o agente Vitor Zanella. 

Já na Ponte Preta, Fernando Garcia representa o volante Matheus Jesus e o atacante Léo Cereja, ambos de 20 anos e entre as principais promessas do clube. Vice-campeão mundial sub-20 com a seleção em 2015, o volante Alef, formado na Ponte, também trabalha com a Elenko, responsável por sua transferência para Portugal. Hoje, atua no Qatar. 

As negociações que o agente não participou

Fernando Santos/Folha Imagem
Elias trocou Ponte Preta pelo Corinthians em 2008

São pelo menos mais sete transferências que envolveram os dois clubes, nos últimos dez anos e não tiveram, segundo consta, envolvimento direto de Garcia.

De Campinas para São Paulo, seguiram os seguintes jogadores: Elias (2008), Guilherme Andrade (2012), Ferrugem (2014) e Rildo (2015). O atacante transferido no ano retrasado, porém, hoje faz parte da carteira de clientes de Garcia. 

No sentido contrário, a Ponte recebeu quatro atletas que estavam sem espaço no Parque São Jorge: Giovanni Piccolomo, Cachito Ramírez e Chiquinho, todos na temporada 2013. Já nesse ano, o zagueiro Yago seguiu para o Moisés Lucarelli. 

Mais transferências à vista

Denny Cesare/Estadão Conteúdo

O Corinthians tem interesse na aquisição do meia-atacante Clayson, um dos destaques da Ponte no Paulistão, e cogita enviar mais um jogador por empréstimo para Campinas como parte do negócio.

Alguns nomes têm sido cogitados, como o volante Marciel ou o atacante Léo Jabá, ambos representados por Garcia, ou os experientes Mendoza ou Cristian, sem espaço no Parque São Jorge. Segundo o regulamento da CBF, como já possui Lucca e Yago, a Ponte só pode receber mais um emprestado do Corinthians. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos