Empresário de joia corintiana acusa concorrente de assédio dentro do clube

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

Protagonista do Corinthians com cinco gols e seis assistências em seis jogos da Copa São Paulo, o meia-atacante Pedrinho, 18 anos, é alvo da cobiça de uma série de empresários. De acordo com Will Dantas, representante do jogador desde os 11, a empresa Elenko Sports assediou o atleta dentro do clube. Fernando Garcia, proprietário da Elenko, nega (ver abaixo). 

Em entrevista ao UOL Esporte, Will afirmou que um emissário da empresa de Garcia fez diversas promessas a Pedrinho e seus pais, que vivem em Alagoas. Entre elas, segundo ele, estavam passagens aéreas e hospedagem para verem as finais da Copa São Paulo na capital - o Corinthians joga a semifinal do torneio, no domingo, contra o Juventus. 

Além disso, representantes da Elenko Sports teriam afirmado a Pedrinho que, se ele não assinasse com a empresa, jamais atuaria entre os profissionais do Corinthians ou alcançaria bons contratos. Isso é o que afirma Will Dantas na entrevista abaixo. No último ano, a empresa Elenko Sports chegou a ser representante de 10 jogadores do elenco corintiano. Recentemente, incorporou três atletas do clube à relação de clientes: o volante Marciel, o atacante Léo Jabá e ainda Rildo, que após o acordo foi para o Coritiba. 

Leia mais: Malabarista da bola, promessa do Corinthians virou jogador na última chance

VEJA O QUE DECLAROU O EMPRESÁRIO WILL DANTAS

ASSÉDIO DENTRO DO CORINTHIANS
Eles (Elenko Sports) estavam assediando o jogador dentro do Corinthians. Eles estavam assediando, estão achando que são donos do mundo, disseram ao menino que ele só jogaria no profissional se assinasse com eles, disseram que ele estava ganhando muito pouco, estão tentando fazer a cabeça dele. O menino me respeita, sabe da minha correria desde os 11 anos dele.

PACOTE DE PROMESSAS EM TROCA DE REPRESENTAÇÃO
Eles ofereceram passagem de avião e hotel para o pai dele ver as finais da Copa São Paulo, ofereceram apartamento, ofereceram um monte de coisa. Tanto a família do menino quanto ele, são pessoas humildes, mas é gente que vai no fio do bigode. O pai dele é homem pra caramba. Ele diz a quem liga, 'procura o Will', mas não me procuraram.

Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians
Pedrinho, meia do Corinthians, é destaque na Copa São Paulo


CONVERSA COM DONO DA EMPRESA
O dono (Fernando Garcia) me ligou. Disse que foi um tal de Márcio, que não trabalha para ele, mas o cara me disse que trabalha para ele, sim. Me disse 'fico dentro do Corinthians fazendo captação de jogador'. O nome disso é roubo. Eu disse a ele 'seu ponto final chegou aqui'. Se você está acostumado a roubar, comigo se ferrou, eu sou o ponto final. O dono me falou que não, que não trabalha para ele, mas todos sabem que trabalha. Já conversei com ele e falei que comigo a história é diferente".

NR.: Conforme apurou a reportagem, Márcio Ribeiro presta serviços para a Elenko Sports no Parque São Jorge, onde costuma se apresentar como captador de jogadores. 

CORINTHIANS PROMETE BLINDAGEM A PEDRINHO
Tive uma reunião com o Corinthians e eles disseram que vão me ajudar a blindar o jogador, que estão juntos comigo nessa. Disseram 'você sempre foi bacana'. Na renovação do ano passado, eu poderia não renovar, poderia esperar agora e pedir luva e salários grandes, mas não costumo fechar portas. Matei isso com o Alessandro (gerente de futebol) em 10 minutos. Não pedi luvas, nada a onerar o clube. 

PROCURA DE OUTROS AGENTES E DO BARCELONA
Empresários grandes me ligaram para fazer parceria. Saí de uma reunião agora com o André Cury, que cuida do Barcelona (representante do clube). Me ligou o Francisco, que trabalha com o Cury, que é meu amigo há muito tempo. Mas tenho outra pessoa, então não posso fechar nada porque marquei uma reunião na semana que vem com um dos maiores agentes do Brasil. Eu tenho palavra.

O OUTRO LADO DE ELENKO SPORTS E CORINTHIANS

Proprietário da empresa Elenko Sports, o agente Fernando Garcia negou relação com o tema. Ele admitiu que Márcio auxiliou para que assinasse com Rildo. 

"Desconheço totalmente esse assunto. Não tenho no escritório nenhum funcionário de nome Márcio e o único que conheço, me trouxe uma situação com o atleta Rildo. Eu inclusive recebi uma ligação do empresário do Pedrinho e disse para ele que não fizemos qualquer tipo de abordagem no jogador.
Tenho muito trabalho, estou ocupado com as negociações do Uendel, Lucca, Cleber (Santos), Pottker e tem a renovação do Petros, jamais ficaria tentando atrapalhar uma jovem promessa e muito menos seu empresário que deve estar lutando para vencer no futebol". 

Já o Corinthians afirma que a promoção dos jogadores ao profissional não tem relação com seus representantes e que o jogador não foi aliciado dentro do clube. 

"O Sport Club Corinthians Paulista esclarece que a promoção para o elenco principal e/ou a escalação e aprovação de jogadores – em qualquer categoria que seja – independe de o atleta ser empresariado por empresa A, B ou C. O critério adotado está diretamente ligado ao seu desempenho e mérito esportivo. Além disso, o clube tem como conduta honrar com os contratos que assina. Nesta gestão, não há a possibilidade de ter havido qualquer tipo de aliciação de jogadores dentro das estruturas do clube". 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos