Andrés diz que treino mudou por "força maior", se desculpa e promete festa

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Vorley/Agif/Estadão Conteúdo

O presidente corintiano Andrés Sanchez falou nesta quinta-feira (5) sobre a mudança de treinamento do clube. A ideia de uma atividade aberta aos torcedores no sábado foi alterada por imposição do Ministério Público e da Polícia Militar, o que fez Sanchez se desculpar. O treino, agora, foi marcado para as 20h de sexta. 

"Eles iam entrar com medidas judiciais e não ia ter treino aberto no sábado. Uma das partes queria que entrasse na justiça e que não tivéssemos treino aberto", declarou Andrés, que lamentou a situação - mais de 41 mil corintianos tinham trocado ingresso para o fim de semana, mas a atividade foi antecipada em um dia.  

"Pedir desculpas, é uma coisa de força maior, iam proibir o treino aberto. Quem não puder ir, procure o clube que vamos ressarcir. Pensamos no cidadão comum, no nosso torcedor e permitir que o torcedor dê seu apoio. Será uma das maiores festas vistas num campo de futebol", prometeu. 

O presidente se lembrou que o Corinthians aceitou antecipar a primeira final para o sábado porque o Palmeiras tinha jogo pela Copa Libertadores na terça. "Alternativa tem. Era menos de 72h (intervalo para a semifinal), a lei me permite não entrar em campo. Mas temos que entender que calendário é um caos, ainda mais em ano de Copa do Mundo. Chegamos no nosso limite. E o Corinthians desta vez se antecipou o mudou", concluiu. 

Confira mais declarações do presidente Andrés Sanchez:

Procedimento adotado
Tinha marcado uma reunião hoje na FPF para falar dos treinos abertos. Chegando lá, não teve a reunião e decidi transferir o treino para amanhã às 20h. Nosso torcedor tem que entender que esse incentivo será importante e me antecipei que mudaria, até porque tinha a informação que a Promotoria ia entrar com ação judicial para não ter treino aberto, uma das partes queria que não tivesse. Então me antecipei e mudei o treino.

Excessos na visão de Andrés
Tudo cai sobre o clube. Contratamos policiamento, segurança, tudo o que a lei exige, mas se acontece alguma coisa o clube é responsável. E achei um absurdo tomar advertência por briga de atletas. Se amanhã o árbitro errar, vou mandar advertência para a FPF? É o futebol de hoje.

Clássicos sem visitante
Acho que tem que voltar torcida visitante, mas vai ser difícil. Quanto menos gente, menos problema eles vão ter. Uma hora vão falar: cabe 40 mil? Libero 20 mil. E assim vamos levando o futebol.

Renovação de Balbuena
Está tendo várias reuniões, vamos ver se chegamos num denominador comum. Mas como o Balbuena disse, está muito próximo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos