Brasil

Tite diz que Brasil "deu aula" no segundo tempo e defende Neymar

Dassler Marques, João Henrique Marques, Pedro Ivo Almeida e Ricardo Perrone

Do UOL, em São Petersburgo (Rússia)

22/06/2018 12h13

O segundo tempo da seleção brasileira contra a Costa Rica animou Tite. Para o treinador, a equipe “deu aula” de futebol nos 45 minutos finais. Sofrendo com a retranca do adversário, o Brasil abriu o placar apenas nos acréscimos, com Philippe Coutinho, e depois fechou o triunfo por 2 a 0 com gol de Neymar. O resultado conquistado nesta sexta-feira (22), em São Petersburgo, levou o Brasil a quatro pontos no grupo E. 

Assista aos gols de Brasil 2 x 0 Costa Rica

Como foi a primeira vitória da seleção brasileira na Copa da Rússia
Brasil decide vaga nas oitavas contra a Sérvia: veja a tabela da Copa
-  Simule os classificados e o mata-mata do Mundial

Questionado sobre a repetição de alguns problemas encontrados na estreia contra a Suíça (empate por 1 a 1), Tite disse: “no primeiro tempo, eu concordo. No segundo, deu aula. Grande segundo tempo. Grande segundo tempo. Três vezes: grande segundo tempo. Conseguiu botar volume, precisão, Navas [goleiro costarriquenho] jogou muito. No primeiro tempo não, o início foi nervoso, errando passe”, prosseguiu.

Apesar da “aula” no segundo tempo, Tite admitiu que a seleção brasileira precisa melhorar nos próximos jogos. Na visão do treinador, a equipe ainda pode evoluir na criação das jogadas. “A bola passou no meio das pernas do Navas, então bota aí a precisão. Em termos criativos e de construção, [a seleção] está devendo. Precisa ser mais equalizado, equilibrado”.

Entre as evoluções, Tite respondeu sobre a atuação de Neymar. O treinador defendeu o camisa 10 e afirmou que a individualidade aparecerá quando a equipe estiver forte. Ele ainda criticou a pressão em cima de apenas um jogador.

“Toda a individualidade aparece se o conjunto estiver forte, é desumano colocar a responsabilidade em um atleta. Eu tenho que assumir a minha responsabilidade, o Sylvinho, o Douglas Costa, para a individualidade surgir. O Neymar ficou três meses e meio parado e a partida anterior foi a primeira [inteira em campo]. Ele é um ser humano, precisa de tempo para retomar o padrão alto. Mas antes de um padrão alto, precisa de um time forte, de não ser dependente. Ele vai chegar, com certeza, no nível mais alto."

Conversa com Firmino antes da partida

Durante a partida, Tite decidiu arriscar na substituição. Paulinho deu lugar a Roberto Firmino durante o jogo e a seleção brasileira passou a jogar com dois jogadores mais avançados – Gabriel Jesus já estava em campo. A mudança, de acordo com o treinador, já havia sido cogitada com o atacante do Liverpool.

“A gente tem tempo junto com os atletas e as características fazem que a gente possa arriscar a execução de uma função diferente no sistema. Estudamos muito o Firmino. Jogamos com cinco entrelinhas jogadores, dois na amplitude, um por dentro e um pivô. As virtudes do Firmino trabalhar ali. Ele tem essa virtude de ficar dentro”, afirmou Tite.

“Não treinamos, preparamos o atleta. Chamei antes de começar. A gente vai criando alternativas táticas. Quando comecei a falar e mostrei o quadro, ele abriu sorriso. Digo ‘gosto de jogar ali, tenho condição’. Eu falei para não voltar e ele disse que começou a jogar de volante. A gente vai descobrindo característica. Vai ter bola aérea e criação”, continuou.

Confira outras declarações de Tite na entrevista pós-jogo:

Atuação do VAR no pênalti em Neymar

Tanto pode dar como não dar, falando eu, Adenor. Com uma pitada um pouco mais do que aquele do Jesus, que falei que era interpretação. Se sou eu, árbitro, cal, mas respeito porque é passível de interpretação. Não precisamos de arbitragem para vencer jogo, mas esperamos que seja justa. Que tal qual foi olhado hoje, seja olhado lá antes. Se interprete como quiser, mas olhe. Não queremos auxilio. Queremos ganhar sendo mais competentes.

Lesão na comemoração

Sensacional [o tombo] porque não foi tu. Me deu uma... não é contratura, fisgada, rompeu aqui, não consigo andar direito. Na comemoração, criávamos volume, toda situação. Time focado em criar oportunidades. Tudo que queríamos desde o primeiro tempo. Eu pensava não é possível o segundo tempo, Navas tira, não entra. Rompeu. Eu olhei para trás, o Ederson bateu. O Cássio junto. Aí ferrou, ia comemorar junto, tive que voltar.

Atuação de Douglas Costa

Grande segundo tempo. Grande segundo tempo. Conseguiu botar volume, precisão, finalizações. Navas jogou muito. Primeiro tempo muito nervoso, errando passes, no segundo retomou. Com o Douglas [Costa], os acompanhamentos da comissão técnica em cima dele na Juventus, amplitude, direita ou esquerda. Com a entrada do Firmino tinha em Fagner um lateral construtor e mais cinco enfiados. Peças de reposição [são importantes], se [algum titular] não tem a melhor condição, tem Firmino, tem Marquinhos, Fernandinho. Preparar todos os atletas é responsabilidade nossa.

Dificuldades nos primeiros jogos

É Copa do Mundo, parceiro. A margem de erro é muito pequena, todos os outros jogos, as três equipes favoritas ontem venceram por 1 a 0, jogos importantes e difíceis. Trago essa consolidação e crescimento, uma equipe se forma campeã, vai bater e crescer. Emocional é bastante forte, esses componentes todos trazem o sucesso.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Brasil

Topo