UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão

Veto a homenagem foi só um dos problemas que irritaram a CBF na Áustria

Reprodução/Twitter CBF
Com minuto de silêncio vetado por austríacos, homenagem a Maria Esther Bueno ficou restrita ao telão do estádio Imagem: Reprodução/Twitter CBF
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo

11/06/2018 04h00

O veto à solicitação do minuto de silêncio em memória de Maria Esther Bueno incomodou a CBF. Segundo pessoas da entidade, faltou sensibilidade à federação austríaca para permitir a homenagem - que ocorreu somente no telão do estádio. Tal situação, no entanto, não foi o único ponto de desgaste entre a seleção e a organização local no último fim de semana. Desde sábado, dia do treino aberto do Brasil, a dificuldade na comunicação e no entendimento eram evidentes.

Durante a atividade de véspera do jogo no estádio Ernst-Happel, no sábado (9), o estafe da confederação se incomodou com a bagunça no acesso ao estádio. Algumas pessoas sem qualquer ligação com a CBF acabaram acompanhando a parte fechada do treino de Tite. No domingo (10), problemas de integrantes da delegação na chegada ao estádio e a truculência no trato entre as partes irritaram os brasileiros.  Brasil foi só uma das seleções de ponta que estiveram na “mini-Copa” montada pela Áustria às vésperas da Copa. Para levar a seleção a Viena, a Pitch, empresa que comercializa os jogos do time, levou R$ 8,7 milhões. (Por Pedro Ivo Almeida)

Seleção: Pai de Neymar e “parças” se juntam ao craque

Após uma certa distância nas primeiras semanas de preparação da seleção brasileira, o pai de Neymar e os “parças”, amigos mais próximos do craque, já estão na cola da seleção brasileira para a Copa do Mundo. O grupo acompanhou a vitória do time sobre a Áustria, em Viena, e de lá seguiu para Sochi.

Mais UOL de Primeira

Topo