UOL futebol

  • http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2011/06/01/barcelonas-de-jacarepagua-e-capela-do-socorro-tentam-carona-com-timaco-de-messi.htm
  • Barcelonas de Jacarepaguá e Capela do Socorro tentam 'carona' em timaço de Messi
  • 20/08/2017
  • UOL Esporte - Futebol
  • @UOLEsporte #UOL
  • 2
Tamanho da letra
Barcelona da Capela do Socorro (SP) tenta tirar proveito de fama do xará famoso

Barcelona da Capela do Socorro (SP) tenta tirar proveito de fama do xará famoso

01/06/2011 - 07h00

Barcelonas de Jacarepaguá e Capela do Socorro tentam 'carona' em timaço de Messi

Bruno Freitas
Em São Paulo

O melhor futebol do mundo não reside na Capela do Socorro, nem em Jacarepaguá, mas, de alguma forma, o nome do multicampeão time de Messi tenta a sorte a partir dos campos destas duas periferias paulistana e carioca. Duas equipes de divisões inferiores de São Paulo e do Rio de Janeiro se entusiasmam com a fase impressionante do Barcelona, em instante iluminado que faz do clube espanhol o mais célebre de sua época.

Assim, modestas, as versões paulista e carioca do Barça reveem o tamanho de suas metas diante da oportunidade de pegar carona na fama internacional do time de Pep Guardiola. O recente título do Barcelona na Liga dos Campeões, o terceiro em seis anos, reforça a condição dos catalães como melhores de seu tempo e, somados à fase dourada de Messi, Xavi e companhia, suscitam debates sobre se alguém, em qualquer outra época, chegou a ser superior. As consequências disso são cifras como o valor do time em 2010, na casa de US$ 1 bilhão, e o preço pago pelo jogador mais caro do elenco, Villa, que custou 35 milhões de euros aos cofres do clube no ano passado.

Mas aqui do lado de baixo do Equador a realidade transcorre em esferas muito mais simples. No Rio de Janeiro, o Barcelona Esporte Clube de Jacarepaguá batalha na Terceirona estadual, pensando em tirar alguma espécie de proveito da fase do xará espanhol para, quem sabe, a partir do próximo ano, começar a pensar em escalar patamares rumo à elite carioca.

O ÍCONE E SEUS GENÉRICOS

Escudos do Barcelona espanhol e de suas versões carioca e paulista, respectivamente

"Dizem que é o primo pobre e o primo rico. Este ano já tivemos cinco exposições de TV e inclusive vamos aparecer no Caldeirão do Huck", comemora Augusto Vieira, diretor de futebol do clube.

O Barça carioca usa há três anos o campo do Mesquita para realizar as suas partidas. Neste ano, o clube celebra a exposição na carona do time de Messi e espera, a partir dela, chegar a um patamar mais alto em termos de estrutura.

"Esse ano fomos um pouco além, no Estadual, mas ainda temos essa condição de trabalhar mais para os atletas aparecerem. No ano que vem, caso a gente consiga se estruturar neste ano, arranjar uma área sem pagar aluguel de campo de treino, a meta é sair disso, subir de divisão", diz o dirigente.

  • Divulgação

    Comissão técnica do Barcelona carioca, com o técnico Jorginho e o preparador físico Júnior

Os blaugranas cariocas levam o parentesco com o gigante do Camp Nou a sério. Tanto que hoje têm em seu elenco dois jogadores com apelidos que remetem ao temido Barcelona de Guardiola.

"Temos um jogador de 17 anos chamado Leo. O pessoal chama de Leo Messi. Tem um que veio de fora com o apelido de Puyol", afirma Vieira. O diretor ainda reforça uma característica em comum com o xará espanhol, a formação dos craques na base. "Carca de 90% dos jogadores do profissional são feitos em casa", diz.

Fundado em 1999, o Barcelona do Rio tem como principal feito de sua história o fato de ter revelado um jogador que hoje em dia frequenta as convocações de Mano Menezes, o zagueiro Thiago Silva, hoje no Milan.

BARÇA DO RIO REVELOU ZAGUEIRO DO MILAN

Foto de Thiago Silva com o time do Barcelona do Rio e sua ficha de inscrição no time

Na Capela do Socorro, por sua vez, as pretensões do Barça local são ainda menores. Até este ponto de sua história, o clube priorizou as disputas das categorias de base e o trabalho social com jovens da região, através de projetos nos times menores.

"Precisamos de um trabalho mais galgado para pensar em subir divisões. Trabalhamos com uma comunidade da Zona Sul, temos muitas crianças carentes. É um trabalho mais voltado ao social, nunca pensamos muito seriamente em desenvolver um projeto profissional", diz Paulo Sérgio Moura, presidente do Barcelona Esportivo Capela, que celebra a crescente exposição. "A imprensa espanhola já nos procurou, fez várias entrevistas, saíram reportagens lá. Quem sabe o Barcelona não nos adota de alguma forma", relata.

A partir de 2012, o Barcelona paulista espera começar a deixar sua condição de força da periferia em razão de uma cartada estratégica interessante. O clube da 4ª divisão estadual fechou acordo com o Governo do Estado e passará a mandar seus jogos, tanto do time profissional como no Sub-20, no Ícaro de Castro Mello, no complexo esportivo do Ibirapuera, região central da capital. O estádio é um dos palcos nobres do atletismo no país e já abrigou jogos do Santos nos anos 90.

Reveja em fotos o feito do Barcelona espanhol
Veja Álbum de fotos

Placar UOL no iPhone