A fúria de Neymar: contido em vestiário e tentativa de agressão ao juiz

Guilherme Palenzuela e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Santiago (Chile)

Por mais que companheiros e comissão técnica classifiquem publicamente a reação de Neymar após a derrota para a Colômbia como normal, não foi exatamente essa a classificação utilizada por pessoas próximas para definir o episódio que culminou com expulsão e suspensão da Copa América.

Segundo Alberto Lozada, membro do tribunal que participou do julgamento, Osses disse ao fiscal do jogo que Neymar tentou agredi-lo fisicamente. O atacante teria o puxado pela camisa e começou a xingar.

No entanto, na súmula da partida, o juiz não colocou a tentativa de agressão, apenas os insultos ditos por Neymar. Mesmo assim, essa versão constou no relatório da decisão desta sexta-feira.

Em contato informal com a Conmebol durante as conversas antes do julgamento do caso no Tribunal Disciplinar da entidade, integrantes da CBF informaram que o jogador teve que ser contido ao chegar no vestiário do estádio Monumental, após o jogo de quarta, tamanha sua irritação.

A reação assustou pessoas próximas e incomodou a comissão técnica. Os profissionais que trabalham diretamente com Neymar no dia a dia da seleção reprovaram tal comportamento.

A postura foi relatada na súmula. Além de bolada em Armero e cabeçada em outro colombiano, o documento diz que Neymar aguardou o árbitro Enrique Osses passar pelo túnel para insultá-lo.

Além do número de jogos que ficará sem Neymar, a comissão técnica da seleção tem outra preocupação em relação à punição que será anunciada em breve pelo Tribunal Disciplinar da Conmebol. Os profissionais da CBF temem a reação do jogador diante da confirmação do período que não poderá entrar em campo.

Depois de horas de julgamento, a Conmebol divulgou que Neymar foi suspenso por quatro partidas, além de uma punição de US$ 10 mil. A CBF poderá recorrer da decisão neste fim de semana, mas a pena mínima é de três jogos, ou seja, o atacante poderia voltar na final caso o recurso fosse aceito.

Para pessoas próximas, o fato de perder suas férias e ter que ficar concentrado diante de tanta pressão tem incomodado o camisa 10 e capitão da seleção.
Nesta sexta-feira, no entanto, Neymar demonstrou um comportamento tranquilo. Entre os reservas, o jogador participou do treinamento tático comandando por Dunga no CT da Universidad de Chile, em La Cisterna, região metropolitana de Santiago.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos