Wendell Lira mantém modéstia após prêmio por gol: 'Não sou ninguém'

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Atacante, agora no Vila Nova, lembrou jogadores em situações piores

    Atacante, agora no Vila Nova, lembrou jogadores em situações piores

O atacante Wendell Lira ainda vive a euforia de conquistar em 2015 o Prêmio Ferenc Puskas, oferecido pela Fifa ao gol mais bonito do mundo no ano. No entanto, em entrevista ao canal de TV por assinatura SporTV nesta terça-feira, o jogador adotou uma perspectiva modesta para sua carreira após o prêmio da véspera.

"É maravilhoso tudo isso que eu estou vivendo. É um presente de Deus sair de Goiânia, passar dias em Zurique, conhecer os melhores jogadores do mundo, podendo representar os brasileiros. Não sou ninguém, ainda estou buscando meu espaço no futebol", disse o jogador, de 27 anos, que admite esperar uma recepção movimentada no retorno a Goiânia.

"Acho que vai ser emocionante, algo muito especial. Quando eu saí de Goiânia, não esperava ninguém no aeroporto, esperava uma coisa mais simples - e tinha muitas emissoras. Não tenho nem noção de como vai ser em Goiânia", declarou também.

Contratado pelo Vila Nova para 2016, o jogador vai disputar o Campeonato Goiano e a Série B do Campeonato Brasileiro no ano. A situação é bem diferente da vivida pelo jogador, que estava sem clube após disputar o Goianão de 2015 pelo Goianésia.

A experiência, entre outras da carreira, ajudaram a moldar a personalidade de Lira. "Todos os segundos de tristeza e de felicidade no futebol me fizeram crescer e me tornar a pessoa que eu sou hoje. Tem jogadores que passam situações bem piores que a minha", analisou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos