Lançamentos de uniformes do Fla causam polêmicas e até processo de R$ 5 mi

Bernardo Gentile e Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

Os últimos lançamentos de uniformes se tornaram um tormento no Flamengo. Parceiros e clube colecionaram problemas com as divulgações e experimentaram a revolta da torcida nas redes sociais. Se a polêmica pelo lançamento da terceira camisa por meio do canal Desimpedidos ainda é discutida na Gávea, outra iniciativa questionável envolvendo o Rubro-negro pode dar prejuízo ao canal Porta dos Fundos, do vice-presidente de comunicação Antonio Tabet.

Em 2015, o canal se envolveu em uma polêmica com o Botafogo ao brincar com o excesso de patrocinadores do clube de General Severiano. O vídeo foi gravado na Gávea e também serviu como uma espécie de lançamento da nova camisa rubro-negra. O Alvinegro ameaçou processar Flamengo e Adidas, mas concentrou esforços no canal Porta dos Fundos.

"O processo está em andamento. O juiz autorizou a apresentação da defesa do grupo Porta dos Fundos, o que deve ocorrer até o fim de fevereiro. Será marcada uma audiência após estes trâmites. Cobramos R$ 5 milhões. O valor corresponde ao total de patrocínios obtidos pelo Botafogo no período em que o vídeo foi vinculado [30 dias]. Abrimos a possibilidade de negociar e alcançar um acordo na audiência", explicou o vice-presidente jurídico do Botafogo, Domingos Fleury.

Se a iniciativa de maio do ano passado repercutiu mal internamente, o vídeo publicado no último final de semana no canal Desimpedidos iniciou uma crise nos departamentos de marketing e de comunicação do Flamengo. As controversas versões para explicar o caso diante de uma torcida enfurecida nas redes sociais só pioraram a situação.

O clube já notificou a Adidas sobre o problema e as partes estudam o que fazer para apagar o impacto negativo causado pelo vídeo. Recheada do termo "Framengo", a produção irritou a torcida e Antônio Tabet foi o alvo dos mais revoltados nas redes sociais.

A principal alegação de torcedores e conselheiros é a de que o Rubro-negro demorou anos para recuperar a imagem no mercado e passou a colocar em risco o trabalho com as postagens de gosto duvidoso.

Os profissionais e a diretoria do Flamengo evitaram comentar o assunto em meio ao disse me disse e considerável insatisfação interna. Apenas o presidente Eduardo Bandeira de Mello falou rapidamente na Gávea sobre o problema na tentativa de amenizá-lo e virar a página.

"O interesse foi promover o uniforme do Flamengo. Causou essa polêmica, mas acho que está indo longe demais. O importante é que o uniforme ficou muito bonito, todo mundo gostou e agora é esquecer e aprender com o episódio. Bola para frente", encerrou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos