Advogado diz que 'joia' de 16 anos está livre para deixar o Corinthians

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Arquivo Pessoal

    Corinthians e jovem Vitinho travam imbróglio

    Corinthians e jovem Vitinho travam imbróglio

O Corinthians deseja receber multa de R$ 8 milhões por Victor Moura, 16 anos. Mas, no entendimento do advogado do jogador, a cobrança não tem procedência do ponto de vista. jurídico. De acordo com ele, Vitinho está disponível para assinar com outras equipes sem precisar realizar pagamentos. 

"Hoje ele é um jogador livre. Acabou o contrato de formação, o Corinthians não fez o contrato profissional e não pode pedir indenizações", argumenta o advogado João Henrique Chiminazzo ao UOL Esporte.

"O clube formador, se cumprir diversos requisitos, tem direito de fazer o primeiro contrato profissional a partir dos 16 anos. O Corinthians tinha até 4 de janeiro (quando venceu o contrato de formação) para mandar uma proposta, o que não fez. O Corinthians simplesmente perdeu esse prazo", diz Chiminazzo. A proposta corintiana foi apresentada cerca de 20 dias após o vencimento do contrato de formação. 

Os departamentos amador e jurídico do Corinthians, entretanto, acreditam que o clube deva ser ressarcido como responsável pela formação do atleta. Apostam ainda no código de ética que existe entre as equipes brasileiros para não aliciamento de jovens jogadores.

Segundo esse pacto, transferências nas divisões de base só podem ser fechadas com a concordância do clube formador. Se uma equipe desrespeita o código, acaba excluída de torneios amadores, o que já aconteceu, por exemplo, com São Paulo e Atlético-PR. No entendimento do advogado e dos empresários de Vitinho, o Corinthians não teria direito a impedir uma negociação porque deixou vencer o contrato que era vigente. 

Sem clima para conversar com o Corinthians, o estafe de Vitinho procura um clube para que ele atue até completar 18 anos. Destaque da seleção brasileira sub-15, ele costura acordo para se transferir ao Manchester City-ING quando completar 18 anos. Nos últimos dias, equipes brasileiras foram consultadas sobre a possibilidade, mas demonstraram preocupação em abrir conversas por conta do contexto jurídico que envolve o jovem. 

À noite, no programa Boa noite, Fox, o presidente do Corinthians, Roberto de Andrade falou sobre o assunto. "O assunto ainda não está resolvido. Eu gosto muito de lembrar que todos aqueles que falam do contrato. O contrato tem dois lados. Não adianta o atleta não querer e o Corinthians querer. Estamos ainda conversando para ver e fazer o novo contrato dele", comentou Roberto de Andrade. 

Ciente do erro em relação ao prazo perdido para uma oferta oficial a Vitinho, o ex-presidente Andrés Sanchez pediu a demissão de responsáveis por conduzir a negociação. Nenhum funcionário, entretanto, acabou demitido até o momento. À TV Gazeta, no domingo, ele se manifestou sobre o caso. 

"Jogador que não tem contrato profissional pode ir pra onde quiser. Ele está desde 7 anos de idade, tem médico, dentista, escola, comida, tudo, você ajuda o pai. Quando o garoto começa a despontar, o pai não aparece mais, é dois empresários e dois advogados. Ou você me dá 30 ou 40% ou não fico mais no Corinthians. O moleque joga juvenil, júnior, vai para seleção, falta um ano de contrato, vai prorrogar, já vêm de novo os empresários, 'quero mais 20 por cento', quero R$ 1 milhão de luvas", reclamou Andrés. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos