Elias se irrita com Corinthians e crê em erro médico; Grava admite fissura

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • REUTERS/Jaime Maldonado

    Elias em ação no Chile: novo diagnóstico de lesão

    Elias em ação no Chile: novo diagnóstico de lesão

A demora do departamento médico do Corinthians em diagnosticar a fissura na fíbula da perna esquerda deixou o volante Elias bastante irritado. A ponto de, para pessoas próximas, acreditar que houve erro no diagnóstico inicial e que isso fará com que ele perca alguns dos jogos mais importantes do primeiro semestre.

Em entrevista ao UOL Esporte, o consultor médico corintiano Joaquim Grava admitiu que um exame de raio-x teria identificado o problema depois de Corinthians x Audax, ainda no dia 3 de fevereiro. Grava acredita que Elias já tinha a fissura na fíbula da perna esquerda. Mas afirma que ele tinha uma erisipela, espécie de inflamação na pele.

"Ele poderia ter tido (a fissura), deve ter tido, mas e daí? O mais importante era tratar a erisipela", justifica Grava ao UOL. "Se for fazer raio-x em todo mundo que tomou pancada, precisa ir todo mundo de ônibus para o hospital", complementou.

O ponto que deixou Elias irritado foi o intervalo de tempo entre os dois episódios. A pancada ocorreu no dia 3 de fevereiro e apenas no dia 22 se resolveu realizar o exame que constatou o problema. Até atuar no Chile, o volante acreditava não ter nenhuma lesão importante e confiava na versão do departamento médico corintiano.

Às pessoas próximas, o volante agora argumentou que já teria se recuperado do problema e estaria disponível para os próximos três jogos pela Copa Libertadores (Santa Fé-COL no dia 2/3 e Cerro Porteño-PAR nos dias 9/3 e 16/3) e as duas partidas da seleção brasileira no fim de março (contra Uruguai e Paraguai), pelas Eliminatórias. As últimas três semanas foram quase perdidas, já que Elias só atuou no Chile, diante do Cobresal, por 80 minutos. 

"Vocês gostam de criar polêmica no Corinthians, isso é uma coisa normal. O departamento médico errou em quê? Erro médico é quando alguém perde a perna, quando alguém morre. Isso é coisa normal que acontece no consultório", contemporizou Grava.

De acordo com o consultor médico, a imobilização na perna esquerda de Elias será feita por no máximo 15 dias e permitirá seu regresso às atividades de campo. Por meio de comunicado, o Corinthians havia declarado que a imobilização seria de três a quatro semanas. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos