11 mil km com lucro de R$ 2 mi e divergência. Vale a pena Fla vender jogos?

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Gilvan de Souza/ Flamengo

    O Mané Garrincha é uma das opções do Flamengo para mandar jogos na temporada

    O Mané Garrincha é uma das opções do Flamengo para mandar jogos na temporada

O Flamengo completa neste fim de semana mais de 11 mil km percorridos em pouco mais de um mês para jogar na temporada. Embora tenha sido mandante em apenas três partidas - incluindo o duelo contra o Resende, domingo (28) -, o Rubro-negro tem nas ausências de Maracanã e Engenhão o principal problema em 2016.

O time já passou por Fortaleza, Recife, Belo Horizonte, Vitória e Brasília. No Rio de Janeiro, os rubro-negros encaram com frequência as estradas até Macaé e Volta Redonda. A questão já causou divergências entre departamento de futebol e diretoria. No entanto, o lucro de mais de R$ 2 milhões com as vendas de jogos tem considerável peso na avaliação final.

O Flamengo reforçou os cofres nos amistosos da pré-temporada contra Ceará e Santa Cruz, disputados em Fortaleza e Recife, respectivamente. Vendeu o confronto contra o América-MG, pela Primeira Liga, para o Espírito Santo, e ainda colocou R$ 750 mil em caixa pelo Fla-Flu disputado em Brasília. Inclusive, a Capital Federal receberá outras partidas do Rubro-negro.

As receitas também são fundamentais por conta da dificuldade em negociar patrocínios. Não resta dúvida para a diretoria de que a prática compensa no aspecto financeiro. O problema está na questão técnica e na manutenção de um bom ambiente de trabalho. Vale a pena vender jogos? Com a palavra o presidente Eduardo Bandeira de Mello.

"A questão é simples. Não podemos desconsiderar o aspecto financeiro, embora exista a necessidade de conciliá-lo com o fator técnico. O fundamental é que não temos no momento opções disponíveis no Rio de Janeiro para jogos com grande expectativa de público", afirmou.

A situação segue em debate entre dirigentes e comissão técnica. Muricy Ramalho deseja uma casa fixa. O treinador já manifestou aos cartolas a preocupação com o desgaste causado pelas viagens quando o Flamengo é mandante. O elenco perde tempo de recuperação e treinos, algo que mais cedo ou mais tarde pode ter peso considerável no trabalho.

Além disso, o comandante deixou claro em entrevistas recentes que não criar identidade em um estádio é algo extremamente negativo no Campeonato Brasileiro e capaz de colocar o Flamengo em desvantagem. A preocupação é evidente e uma grande operação logística será montada para definir os estádios em que o Rubro-negro se apresentará na competição.

"Queremos fazer um planejamento operacional completo, mas dependemos da definição da tabela. Vamos encontrar uma solução", encerrou Bandeira.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos