Dunga prevê dificuldades para se classificar e entende Neymar na balada

Danilo Lavieri

Do UOL, em Viamão (RS)

O Brasil vai sofrer para se classificar para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. O recado foi dado por Dunga na coletiva desta segunda-feira (28), em Viamão, no hotel em que a seleção se prepara para enfrentar o Paraguai na terça-feira, em Assunção.

De acordo com o treinador, é difícil imaginar um cenário com a seleção garantindo a vaga na competição com antecedência. O Brasil tem dois cenários opostos após a partida contra os paraguaios: pode estar na vice-liderança com vitória ou terminar em 7º em caso de revés.

"Se em outras Eliminatórias a gente sempre se classificou nas últimas rodadas, essa vai ser ainda mais complicada. Vamos jogar para vencer. Respeitamos os adversários e sabemos da dificuldades, mas temos de ter isso, vencê-los, como meta", destacou.

"O jogo é complicado, o adversário sempre jogando em casa, tenta uma superioridade, tenta vencer, tem o apoio total do seu torcedor. Mas a dificuldade varia de um adversário para o outro", completou.

A seleção vai ter ainda mais dificuldade para atuar por não poder contar com dois de seus líderes: David Luiz e Neymar, ambos suspensos. O comandante, inclusive, defendeu a ida do atacante a uma balada em Santa Catarina, menos de 24 horas após o empate por 2 a 2 com o Uruguai.

Ele, no entanto, admitiu que a atual geração de jogadores pensa de uma maneira diferente da dele. Dunga foi o capitão do tetra em 1994. Neymar é o atual capitão da seleção brasileira. Ele foi suspenso por dois cartões amarelos e não ficou com o elenco, assim como David Luiz. De Porto Alegre, onde foi dispensado, foi a Santa Catarina curtir uma festa. Ele já havia sido o último dos craques do Barcelona a se apresentar para a sua seleção. 

"A princípio a gente tem que respeitar as individualidades e, as gerações mudam bastante. Temos que entender isso. Hoje também tem muitas redes sociais, na época não tinha exposição. Na minha época eles começavam a ter ascensão social, antigamente não tinha toda essa mídia. Hoje, o que um jogador faz em dois segundos está no mundo todo. O mais importante é que eu não posso querer que os jogadores tenham o mesmo comportamento que a minha forma. Temos de respeitar. Quando está dentro, joga o melhor possível e tenta tirar o melhor dele", analisou.

Apesar de ter mostrado o time com Gil e Ricardo Oliveira no domingo, o comandante preferiu não confirmar a escalação. Além de fechar o treino para a presença de imprensa, não confirmou o time que entra em campo para enfrentar o Paraguai.

Outro incidente que marcou o treino foi a CBF ter retirado um profissional credenciado como membro da imprensa que dirigia um drone. Ele foi convidado a se retirar dos trabalhos comandados por Dunga. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos