Tite apoia Dunga e diz que seria impossível conciliar Corinthians e seleção

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

A entrevista coletiva de Tite após Corinthians 2 x 1 Ponte Preta foi marcada por uma série de perguntas a respeito da seleção brasileira. Com Dunga sob pressão, o comandante corintiano tentou se esquivar do tema, mas admitiu que seria impossível conciliar os dois cargos por um período. 

"Não acredito. Nenhum ser humano em sua plenitude consegue trabalhar em dois locais, servir a dois senhores. Falamos de excelência, de alto nível. Eu tento filtrar situações para ficar voltado ao trabalho e às vezes elas me atrapalham. Às vezes não quero mais ouvir o que diz o porteiro, outro cara que vai lá, digo 'me deixa quieto', 'não me atrapalha'. Imagina trabalhar em dois lugares. Não acredito em excelência dessa forma", admitiu. 

A pergunta feita a Tite citava o exemplo de Vanderlei Luxemburgo, que já era treinador da seleção enquanto dirigia o Corinthians na reta final de 1998. O comandante corintiano disse que é o momento de dar suporte a Dunga. 

"Eu aceito, fico orgulhoso com os elogios, sempre vou continuar o aprimoramento. Não concordo que sou só eu, há outros técnicos capacitados. O tempo de escolha já passou, é tempo de apoio a quem está lá", disse em referência ao atual treinador.

Nesta quinta, o presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, informou ter conversado com Tite e dito ao treinador que "o clube tinha muito mais a oferecer do que a CBF ".

Tite também foi perguntado se acompanhou Brasil 2 x 2 Paraguai, na terça-feira, e deu resposta curiosa. "Estava bastante cansado. Vi o primeiro tempo, pedi ao Léo (comissão técnica) para estruturar a palestra, e ele me enviou por Whatsapp. Eu estava cansado e dormi no segundo tempo". 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos