Habeas corpus é indeferido e corintianos seguem presos no RJ

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

Os 31 corintianos presos no Rio de Janeiro por conta do tumulto no Maracanã no último domingo (23) seguirão detidos. Na manhã desta quinta-feira, o desembargador Carlos Eduardo Roboredo, da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ-RJ), indeferiu o pedido de habeas corpus do advogado paulista Valter Nunhezi Pereira.

Nunhezi não estava ligado diretamente ao caso, já que os advogados que defendem os corintianos desde o início são Marcus Vinicius Farias, Helion Moura e Gutemberg Souza. A ação individual do paulista, inclusive, causou revolta no trio, que não tinha como estratégia impetrar um habeas corpus neste momento.

Divulgação

Com esta decisão, os corintianos continuarão encarcerados no Complexo Penitenciário de Gericinó, no bairro de Bangu, na Zona Oeste do Rio. Eles estão numa cela separada dos demais.

Presos em flagrante, eles tiveram a detenção alterada para preventiva e foram enquadrados por crimes de lesão corporal - confirmada por um laudo positivado nos PMs -, dano qualificado, provocar tumulto em locais de jogos, resistência qualificada e associação criminosa.

Corintiano aguarda habeas corpus individual

O corintiano André Tavares, que ganhou uma campanha maciça na internet pedindo sua soltura, ainda aguarda um habeas corpus individual que foi impetrado na noite desta quarta-feira (26). Desde que foi preso, ele conta com uma defesa particular formada pela dupla Rafael Faria e Gabriel Miranda Moreira. 
 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos