Por que Griezmann, eleito 3º melhor do mundo, não entrou na seleção do ano?

Do UOL, em São Paulo

Como é possível que um atacante eleito o terceiro melhor jogador do mundo em 2016 não tenha entrado na seleção do ano da Fifa?

Aconteceu com Antoine Griezmann, que desbancou Neymar e Suárez na corrida pela indicação ao prêmio Melhor da Fifa, mas viu o uruguaio assumir seu lugar na seleção do mundo.

Embora o caso seja curioso, a explicação é simples: são votações diferentes. A seleção do ano é eleita por mais 45 mil jogadores ao redor do mundo ligados à FIFPro (Federação Internacional dos Jogadores Profissionais de Futebol). Isto é, somente atletas profissionais de futebol têm direito a voto.

Por sua vez, a eleição do Melhor da Fifa conta em seus critérios com a participação dos técnicos e capitães das seleções filiadas à Fifa, um jornalista esportivo de cada país (no caso do Brasil em 2016, Paulo Vinicius Coelho) e votação popular pelo site da entidade. Jornalistas e torcedores representam 50% do pleito, com treinadores e capitães completando a porcentagem da votação.

Assim, pode haver diferenças nas duas relações - como de fato aconteceu com Griezmann em 2016. Na cerimônia que aconteceu no início do ano passado, referente a 2015, Messi foi eleito o melhor do mundo, seguido de Cristiano Ronaldo e Neymar. Mas na ocasião o trio de ataque da seleção da FIFPro bateu com a lista dos três melhores do planeta segundo a Fifa.

Seleção da FIFPro 2016: Manuel Neuer; Dani Alves, Gerard Piqué, Sergio Ramos, Marcelo; Luka Modric, Toni Kroos, Andrés Iniesta; Lionel Messi, Luis Suárez, Cristiano Ronaldo

Melhores da Fifa 2016: Ronaldo (34%), Messi (26%) e Griezmann (7%).

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos