Ramón Ábila cobra mais minutos e agente estuda saída do Cruzeiro

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

    Ramón Ábila cobra mais minutos, mas não descarta deixar o Cruzeiro na atual janela

    Ramón Ábila cobra mais minutos, mas não descarta deixar o Cruzeiro na atual janela

Ramón Ábila não está satisfeito com o momento vivido no Cruzeiro. Embora seja o artilheiro do elenco, com 13 gols em 32 partidas, ele quer atuar com mais frequência. O jogador se reuniu com a diretoria para pedir mais minutos e seu empresário, Adrián Ruocco, confirma que avalia as possibilidades no mercado de transferências.

Clubes da Europa e da Argentina desejam contar com o centroavante de 27 anos. O estafe do atleta assegura que não foi procurado para conversar sobre uma possível transferência, mas revela que avalia a possibilidade de mudança na atual janela.

"Não tenho respostas [sobre o Ramón Ábila] ainda. Só posso dizer que estamos avaliando o futuro dele, mas não há nada concreto [em relação a propostas]", afirmou Adrián Ruocco por meio de mensagem telefônica ao UOL Esporte.

Na última semana, o atacante argentino procurou o diretor de futebol Klauss Câmara e o gerente Tinga a fim de manifestar insatisfação com o condição de reserva no time de Mano Menezes. O fato foi repassado à comissão técnica, mas o futuro do atleta na Toca da Raposa II é incerto.

"O Ábila conversou com a diretoria, mas não consideramos que isso seja um absurdo. Pelo contrário. Ele manifestou a insatisfação por não estar jogando, o que é bom. Mas a definição de jogar depende do treinador. Entre ele manifestar o desejo de sair e isso ocorrer, depende de ter uma proposta concreta que satisfaça a ele e ao clube", comentou.

Nessa terça-feira (4), o UOL Esporte revelou que o jogador pode deixar os mineiros em breve por três motivos: as chegadas de Rafael Marques e Sassá, a dívida do Cruzeiro com o Huracán e a predileção de Mano Menezes por outros atletas para a sua posição.

Cobrança do Huracán permanece

Desde o fim do ano passado, o Huracán, ex-clube de Ábila, vem fazendo cobranças públicas ao Cruzeiro pelo não-pagamento de parcelas referentes à venda de Ramón Ábila. O time argentino alega que os mineiros ainda não pagaram US$ 1,5 milhão, valor da segunda parcela da compra do jogador e que deveria ser efetivada em dezembro de 2016.

Ábila teve 50% dos seus direitos econômicos adquiridos pelo Cruzeiro em julho de 2016 por cerca de R$ 13,5 milhões. Deste montante, o time de Belo Horizonte já desembolsou R$ 8,53 milhões (US$ 2,7 milhões) em agosto do ano passado, restando ainda efetivar o restante do pagamento, o que ainda não foi feito. Desde os últimos meses, o Cruzeiro vem tentando refinanciar o débito com o Huracán e entrar em um acordo amigável com o clube. Porém, a agremiação argentina não esteve disposta a conversar e acabou recorrendo à Fifa para tentar receber a quantia.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos