Sócios convocam Assembleia para mudanças no Atlético sem aval da diretoria

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Os Fanáticos

    Atleticanos protestam: grupo convocou Assembleia para mudanças, à revelia da diretoria do clube

    Atleticanos protestam: grupo convocou Assembleia para mudanças, à revelia da diretoria do clube

O grupo de sócios que pleiteia mudanças na política de relação com os torcedores no Atlético Paranaense convocou, à revelia da diretoria do clube, uma Assembleia Geral de Sócios para o dia 9 de dezembro, uma semana após o término do Campeonato Brasileiro. O grupo, que reúne 3.667 assinaturas, havia solicitado ao presidente do Conselho Deliberativo, Mario Celso Petraglia, que fizesse a convocação seguindo os prazos do Estatuto do clube, o que não aconteceu.

Petraglia despachou os pedidos ao coordenador do programa "Sócio Furacão", que solicitou carência de 15 dias para averiguar se as assinaturas do documento correspondem a de donos de títulos do clube. O prazo máximo da convocação, previsto em Estatuto, seria de 5 dias úteis a contar da entrega, feita em 27 de outubro.

"Eles não estão sendo leais, estão adotando de um procedimento contrário ao Estatuto. Não convocou e não indeferiu, usou de um procedimento atípico, postergando e até inviabilizando a Assembleia", argumentou Fernando Munhoz, advogado ligado ao grupo que articulou o pedido.

Reprodução
Trecho do Estatuto do Atlético citado pelo grupo que pede a Assembleia

Na pauta, os sócios querem flexibilização no uso das cadeiras, com restrição por biometria, mudanças nos valores dos planos de sócios, esclarecimento das contas referentes às obras para a Copa 2014, liberação de adereços da torcida, questionam a prática de alugar a Arena da Baixada em dias de jogos do Atlético – como quando o time enfrentou o Santos, pela Libertadores – e até pedem mudanças nas cores do estádio, atualmente acinzentado.

A articulação envolve membros da chapa "Atlético de Novo", que concorreu com Petraglia e Luiz Sallim Emed ao clube em 2015, e das torcidas organizadas "Os Fanáticos" e "Ultras", que têm articulado protestos contra a atual diretoria. Na derrota por 1 a 0 para o Corinthians, um contingente de aproximadamente 4 mil torcedores (segundo os organizadores) ficou na praça Afonso Botelho assistindo a partida por um telão, sem entrar no estádio.

Munhoz afastou qualquer possibilidade de incluir em pauta um pedido de impeachment da atual diretoria: "Não tem chance. Não pedimos destituição de quem quer que seja, nem antecipação das eleições. Queremos uma correção de rota na condução do clube. Queremos desconstituir arbitrariedades."  

Clube não reconhece convocação e garante que seguirá rito após conferência

Procurado, o Atlético informou que não reconhece a convocação e que está seguindo o rito normal para fazer a Assembleia após a conferência dos nomes. "Existe um despacho do presidente a respeito da questão, ele não deixou de convocar. O clube está apenas seguindo os procedimentos para análise da listagem. É impossível fazer toda a conferência em 5 dias", explicou o advogado Gustavo Rocha, do departamento jurídico atleticano. "Existindo um despacho nesse sentido, a convocação diretamente pelos sócios somente poderia ocorrer com autorização judicial", argumentou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos