Torcedores do Flamengo são liberados após confusão na entrada de hotel

Pedro Ivo Almeida e Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

Os 51 torcedores do Flamengo que haviam sido detidos na madrugada de quarta, no Rio de Janeiro, foram liberados pela manhã. Quatro torcedores menores de idade tiveram de aguardar para deixar o DP de Copacabana, pois estavam sem os pais ou responsáveis.

A detenção ocorreu no acesso ao hotel Hilton, em Copacabana, na noite de terça para quarta, após confusão na entrada do prédio. Munidos com pedras e rojões, os torcedores rubro-negros tumultuaram o local de madrugada acreditando que o elenco do Independiente estaria hospedado em Copa.

Mas o time argentino estava hospedado na Barra da Tijuca, onde também ocorreu baderna promovida por torcedores do Flamengo.

Nesta quarta-feira, Flamengo e Independiente se enfrentam no Maracanã, na final da Copa Sul-Americana.

A algazarra protagonizada por um grupo de torcedores do Flamengo poderá render problemas ao time. A Conmebol abrirá um processo na Comissão Disciplinar para julgar o Flamengo pelos acontecimentos violentos de ontem da sua torcida. O Código Disciplinar da Conmebol permite punições para incidentes ocorridos fora do estádio.

Após abrir o processo, a Comissão Disciplinar envia o mesmo a um tribunal independente da Conmebol. O mesmo tem até 10 dias para julgar o caso.

Com o intuito de atrapalhar o sono do elenco argentino, torcedores do Flamengo promoveram foguetório na entrada do hotel em Copacabana. Os torcedores atiraram morteiros e houve tentativa de invasão ao hotel.

A confusão começou no hotel da Barra da Tijuca. No momento do tumulto, as diretorias dos dois clubes estavam jantando juntas e com presença da Conmebol, que já neste momento informou que abriria um procedimento contra o clube da Gávea.

Um boato de que a delegação do Independiente teria mudado de hotel fez com que os rubro-negros se deslocassem para Copacabana. Torcedores do Independiente relatam ter sido agredidos por flamenguistas. A polícia fez a detenção dos torcedores do time carioca em Copacabana.

O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, reprovou a atitude dos torcedores do Flamengo.

"É claro que a posição é de repudiar este tipo de ação. É totalmente contraproducente para o Flamengo. O Flamengo pretende estar todos os anos na Libertadores. Ano que vem estaremos. Possivelmente vamos ter que jogar em Buenos Aires, contra times argentinos e vamos estar em outros países e gostaríamos que nossa torcida e times fossem bem tratados", disse o dirigente ao "SporTV". 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos